Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Relevância cultural das fortificações de Pernambuco é tema de livro e exposição

“NOVAS (velhas) BATALHAS - Educação patrimonial no contexto das fortificações de Pernambuco" é resultado do projeto “Educação e Patrimônio compartilhado: Brasil e Holanda”, desenvolvido pelo Iphan, Embaixada da Holanda e Associação dos Amigos do Museu da Cidade do Recife, em parceria com o Governo do Estado, por meio da Secult-PE/Fundarpe, e as Secretarias de Educação do Recife e da Ilha de Itamaracá

Reprodução/Capa do livro

Reprodução/Capa do livro

Livro ‘NOVAS (velhas) BATALHAS – Educação patrimonial no contexto das fortificações de Pernambuco’ é fruto do projeto Educação e Patrimônio compartilhado: Brasil e Holanda, realizado no Forte Das Cinco Pontas, no Forte Brum, no Forte Orange, nas escolas municipais que se integraram ao projeto e em suas imediações

As fortificações pernambucanas revelam um riquíssimo valor histórico e cultural, sendo testemunhos da ação portuguesa e holandesa em Pernambuco durante o período do Brasil Colonial. A importância dessa época refletida nos dias de hoje, através de memórias, identidades e referências culturais da comunidade na qual estão inseridas as fortificações, são a base do livro e da exposição NOVAS (velhas) BATALHAS – Educação patrimonial no contexto das fortificações de Pernambuco, que serão lançados na próxima segunda-feira (22) pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), às 9h30, no Museu da Cidade do Recife (PE), no Forte das Cinco Pontas.

A solenidade de lançamento do livro e da exposição contará com a presença do secretário estadual de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, da presidente do Iphan, Kátia Bogéa; da cônsul dos Países Baixos no Brasil, Annelijn W. van den Hoek; do diretor do Departamento de Cooperação e Fomento (Decof/Iphan), Marcelo Brito; da Superintendente do Iphan em Pernambuco, Renata Borba, e demais autoridades locais.

Divulgação

Divulgação

Publicação será lançada na próxima segunda-fera (22), às 9h30, no Museu da Cidade do Recife

A publicação é resultado do projeto Educação e Patrimônio compartilhado: Brasil e Holanda, realizado no Forte Das Cinco Pontas, no Forte Brum, no Forte Orange, nas escolas municipais que se integraram ao projeto e em suas imediações. A Embaixada dos Países Baixos investiu R$ 120 mil na ação, a partir de um edital de 2017. Desenvolvida pelo Iphan, em parceria com o Museu da Cidade do Recife e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), representada pela técnica e historiadora Amanda Paraíso, e o apoio das prefeituras de Recife e da Ilha de Itamaracá, a ação tem como objetivo apoiar projetos de cooperação com organizações nacionais dentro da política de Patrimônio Cultural compartilhado da missão diplomática holandesa.

De acordo com o secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, a experiência de participar de um projeto como esse é bastante enriquecedora, principalmente pelos aprendizados partilhados. “Conhecer e colocar em evidência essas histórias corroboram a compreensão de que é possível realizar um trabalho de Educação Patrimonial nas nossas escolas que se relacione diretamente com as identidades e valores afetivos das pessoas, para além de dar conta do currículo escolar”, ressalta o secretário.

Jan Ribeiro/Secult-PE

No dia 12 de março de 2018, no Forte das Cinco Pontas, sede do Museu da Cidade do Recife, foi assinada uma declaração para atuação conjunta em apoio ao Projeto pelos seguintes órgãos: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco– IPHAN/DF, Comando da 7ª Região Militar, Consulado Honorário dos Países Baixos, Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – Fundarpe, Prefeitura da Cidade do Recife, Prefeitura da Ilha de Itamaracá e Associação de Amigos de Museu – AMUC (Museu da Cidade do Recife)

O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, avalia que o processo educativo e as estratégias adotadas permitiram conhecer histórias por trás das grandes edificações dos fortes pernambucanos. “Entendemos que este projeto, ao visar a valorização das referências culturais do Estado, sobretudo a relação das comunidades com essas fortalezas, contribui e inspira para a prática conjunta da preservação do Patrimônio Cultural Pernambucano e Brasileiro, material e imaterial, bem como para a continuidade da inserção do tema Patrimônio Cultural no cotidiano das escolas”, destaca Canuto.

Ao longo de 2018, o projeto mobilizou professores e alunos de sete escolas do Recife e da Ilha de Itamaracá, para a elaboração de um inventário participativo, desenvolvido pelo Iphan. O levantamento traz significativo registro das referências culturais relevantes para a valoração e preservação das fortificações; permitindo identificar e enaltecer a importância histórica desses bens culturais, a partir do ponto de vista da comunidade.

Jan Ribeiro/Secult-PE

No período de 13 a 16 de março de 2018, foi realizada uma formação para os professores e técnicos pedagógicos das escolas selecionadas com o objetivo de apresentar o projeto, dialogar sobre conceitos relativos ao campo do Patrimônio Cultural Material e Imaterial

Os resultados alcançados pelo projeto foram organizados na publicação pela jornalista e escritora Gabriela Romeu. Os capítulos se iniciam com um relato da experiência de um dos participantes do projeto, buscando sensibilizar os leitores para a importância da educação patrimonial. A proposta visa, também, apresentar o processo de se construir um inventário participativo, inspirando novas práticas que possam atuar com o mesmo objetivo.

Para a exposição, que amplia o conteúdo abordado no livro, serão usados projetores, tabletes, vídeos e efeitos sonoros para transmitir ao público as vivências de cada história contada na publicação. O lançamento da exposição e do livro visa também promover a candidatura a Patrimônio Mundial do Conjunto de Fortificações do Brasil. A mostra ficará aberta à visitação pelo período de seis meses no Museu da Cidade do Recife, podendo seguir depois em itinerância para as outras fortificações.

Serviço
Lançamento do livro e da exposição homônima NOVAS (velhas) BATALHAS – Educação patrimonial no contexto das fortificações de Pernambuco
Segunda-feira (22/4) | 9h30 às 12h
Museu da Cidade do Recife (Forte das Cinco Pontas, s/n – São José, Recife)
Visitação da exposição: de segunda a sexta, das 9h às 17h
Gratuito

< voltar para home