Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Secult-PE decide acatar pedido de tombamento da Casa de Capiba

Processo agora será conduzido pela Fundarpe, que fará levantamento histórico e cultural e depois encaminhará para Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural

Google Street View

Google Street View

O imóvel está localizado no Bairro do Espinheiro (Recife)

A Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE) acatou o pedido para tombamento da casa de número 369, na Rua Barão de Itamaracá, no bairro do Espinheiro (Recife), onde morou o compositor Lourenço da Fonseca Barbosa, o ilustre Capiba (1904-1997). Nos próximos dias será publicado edital para abertura do processo de tombamento. A Fundarpe – órgão ligado à Secult-PE, responsável por análises na área de patrimônio – fará todo levantamento cultural e histórico do imóvel e encaminhará o documento para o Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural, que aprofundará a análise e emitirá o parecer definitivo sobre o tombamento. De todo modo, pela lei de proteção do Estado a bens materiais, o imóvel encontra-se protegido durante todo processo, como se já tombado estivesse.

A presidente da Fundarpe, Márcia Souto, explica que a análise da instituição – que fundamentou o acatamento do pedido pela Secretaria de Cultura – considerou a dimensão simbólica e o valor imaterial do imóvel. “A dimensão do seu valor se dá porque ali morou um ícone da cultura pernambucana e brasileira, que foi Capiba”, diz a gestora.

Ela ressalta ainda que, em 2013, reconhecendo a relevância cultural e histórica da obra de Capiba, a Fundarpe já havia feito o arrolamento de todo o seu acervo, composto por mais de cinco mil peças, entre objetos pessoais, partituras, discos, livros, DVDs, troféus, placas, etc.

A Casa onde morou Capiba também se encontra em processo de desapropriação pelo Governo de Pernambuco, por meio da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e Secretaria de Administração. “O que já está certo, e que foi motivo para a desapropriação por parte do Governo, é que o imóvel servirá para salvaguardar a memória artística pernambucana, através da arte deste ícone da nossa cultura, Capiba”, diz Márcia Souto.

Confira abaixo imóveis que já contam com proteção estadual e federal (tombados) e que foram moradia de nomes ilustres de nossa história:

1 –  Ambientes de Origem e Memória de Luiz Gonzaga do Nascimento (Luiz Gonzaga) – O Rei do Baião, composto pela antiga Casa de Januário na Vila da Fazenda Araripe e pelo Parque Aza Branca (Exu)

2 – Antiga Casa Rural do ex-Governador Dr. José Rufino Bezerra Cavalcanti, Com terreno respectivo medindo 16.990m², na antiga Usina José Rufino – (Cabo de Santo Agostinho)

3 – Casa da Rua da Imperatriz, 147, onde nasceu Joaquim Nabuco, na Boa Vista (Recife)

4 – Casa do Cardeal Arcoverde, antiga Fazenda Fundão. (Arcoverde)

5 – Casa do Conselheiro João Alfredo – Ampliação do perímetro do Engenho São João  (Itamaracá)

6 – Casa Grande e Jardim do Coronel Arthur Lundgren (Paulista)

7 – Casa n° 143 da Rua Vidal de Negreiros, Pátio do Terço, bairro de São José, Cidade do Recife – “Casa De Badia” (Recife)

8 – Casa natal de Oliveira Lima, 813, Boa Vista (Recife)

9 – Casa nº 263 da Rua da União, Boa Vista, onde viveu o Poeta Manuel Bandeira (Recife)

10 – Sobrado Grande da Madalena, na Praça João Alfredo, atual Museu da Abolição, que foi a casa do Conselheiro João Alfredo (Recife)

11 – Vivenda Santo Antônio de Apipucos, a casa de Gilberto Freyre e Sítio paisagístico ao seu redor (Recife)

< voltar para home