Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Vivência com o Maracatu Raízes de Pai Adão dá início à IX Semana do Patrimônio Cultural

Durante a atividade, os participantes puderam conhecer a sede do maracatu e o Sítio de Pai Adão, o primeiro terreiro de Candomblé tombado pelo Estado

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

Sede do Maracatu Raízes de Pai Adão, no Recife, recebeu a visita de centenas de alunos e professores durante ação da IX Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco

A sede do Maracatu Raízes de Pai Adão, no bairro de Água Fria (Recife), foi palco de um importante encontro em prol da valorização do patrimônio material e imaterial de Pernambuco. Nesta quinta (11) e sexta-feira (12) o espaço recebeu uma ação da IX Semana do Patrimônio, evento promovido pela Secretaria de Cultura de Pernambuco e Fundarpe cuja abertura oficial está marcada para a próxima segunda (15). Como parte da programação, a agremiação, vinculada ao Terreiro Obá Ogunté, mais conhecido como Terreiro de Pai Adão, abriu as portas para a visita de alunos e professores de várias escolas municipais e estaduais que ficam no entorno da região – bairros como Arruda, Campo Grande e Chão de Estrelas.

Durante a atividade, que se repetiu nas manhãs e tardes dos dois dias, os participantes foram levados a conhecer o Terreiro Ilê Obá Ogunté e a sede do Maracatu Raízes de Pai Adão, onde ficam as exposições de fantasias, adereços, e instrumentos do grupo. Em seguida, os jovens e professores assistiram ao documentário do Maracatu Nação que faz parte do registro do maracatu de baque solto como Patrimônio Imaterial do Brasil pelo Iphan. Ao término da ação, foi realizada uma vivência de dança e percussão na sede do maracatu, com a participação de alunos e turistas que passavam pelo local.

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

Integrantes do Maracatu Raízes de Pai Adão realizam uma apresentação especial para os visitantes

De acordo com Marcelo Renan, integrante da Coordenadoria de Patrimônio Imaterial da Fundarpe, a escolha da sede do Maracatu Raízes de Pai Adão para receber a atividade se deu por dois motivos. “Primeiro, porque o Ilé Obá Ogunté – Sítio de Pai Adão é o primeiro e até o momento o único terreiro de Candomblé protegido no Estado com o tombamento estadual , desde o ano de 1985. Em segundo lugar, pela relação familiar do terreiro com o Maracatu Nação Raízes de Pai Adão. O Maracatu Nação, ressalto, recebeu em dezembro de 2014 o título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Assim, com esta integração, mostramos aos visitantes a estreita e indissociável relação ente patrimônio imaterial e material, especialmente no universo cultural afro-brasileiro”, explica.

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jorge Carneiro é vice-presidente do Maracatu Raízes de Pai Adão

Esta é a segunda vez que o Maracatu Raízes de Pai Adão participa do evento, abrindo suas portas para centenas de pessoas. Na última quinta-feira (11), por exemplo, cerca de 150 alunos do ensino fundamental da Escola Municipal Antônio Heráclito do Rego, do Arruda, participaram. Jovens entre 12 e 16 anos, muitos deles ainda não conheciam a sede de um maracatu ou um terreiro de candomblé. Para Arnaldo Vicente, professor de intervenção didática da Escola, este encontro é importante porque desenvolve o indivíduo enquanto cidadão. “Acho interessante exercitar este tipo de vivência porque respeitar outras culturas é uma forma que a pessoa tem de crescer intelectualmente e como ser humano”, opina.

Após a visita à sede do maracatu, os alunos se deslocaram a pé até o Terreiro de Pai Adão, localizado alguns imóveis adiante na mesma rua, ao som de alfaias, gongues e abês. Jorge Carneiro, vice-presidente do Maracatu Raízes de Pai Adão, foi o guia e explicou a relação do grupo com o terreiro. “A origem desse maracatu é de família. Foi criado pela única filha viva de Pai Adão, Maria do Bonfim, mais conhecida como Tia Mãezinha, e foi uma forma de homenagear o legado dele. A relação que temos como o Terreiro é fundamentalmente a que todo maracatu tem com a sua nação. No nosso caso, é Nagô e que tem como santo na casa Iemanjá Oguté”, comenta.

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

Vários alunos participaram de uma oficina de percussão promovida pelos integrantes do Maracatu Raízes de Pai Adão

Segundo Jorge, este ano houve mais adesão do público na ação, muito por conta do sucesso da edição do ano anterior que repercutiu bem na sociedade. “A diretora de uma das escolas que convidei, assim que recebeu o convite, me ligou no mesmo dia para combinar a vinda dos seus alunos. Pra gente é ótimo, porque amplia nossos horizontes. Dos jovens que vieram nos visitar, mais de dez demonstraram interesse em vir participar dos ensaios e oficinas. Isso pra gente não tem valor”, revela, emocionado.

Semana do Patrimônio - A abertura oficial da IX Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco – agendada para acontecer no dia 15/8, a partir das 9h, no Teatro Arraial Ariano Suassuna – será marcada pela conferência do professor Albino Rubim (UFBA), que virá ao Recife para falar sobre o tema “Política Cultural e Participação Social”.

Além disso, a Gerência Geral de Preservação do Patrimônio Cultural lançará, nesse mesmo dia, a primeira edição da “Aurora463 – Revista da Semana de Patrimônio Cultural”. A publicação eletrônica, produzida de forma coletiva, traz artigos que registram as ações e as atividades promovidas durante a última edição do evento, e promove a extensão do conhecimento sobre preservação patrimonial nas suas mais diversas formas de pensar, interpretar e experimentar. Clique aqui e confira a programação completa da 9ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco.

< voltar para home