Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

Artigo científico destrincha o Mapa Cultural de Pernambuco

Características, dados e análises qualitativas e quantitativas da plataforma foram apresentados durante o Fórum de Biblioteconomia da UFPE

O Mapa Cultural de Pernambuco, gerenciado pela Secult-PE/Fundarpe, foi tema de um artigo científico apresentado durante o 9º Fórum de Biblioteconomia da Universidade Federal de Pernambuco. O trabalho desenvolvido por Jéssica Miranda, assessora da Gerência de Planejamento da Secult-PE/Fundarpe, estabelece relação de importância da plataforma de mapeamento dos atores e ações de cultura com a análise e o levantamento de dados do setor em Pernambuco. Confira aqui o texto na íntegra.

“Eu vinha observando o mapa e coletando dados sobre seu uso, pensando na produção e no uso das informações. Por isso, resolvi produzir o artigo”, explicou Jéssica Miranda, que apresentou o trabalho científico na semana passada, no evento que aconteceu no Departamento de Ciência da Informação da UFPE, onde ela estuda Biblioteconomia.

Segundo a autora do texto, o Mapa Cultural de Pernambuco tem importância fundamental para o setor de produção cultural de Pernambuco. “Essa é uma área ainda não muito explorada pela área de coleta e análise de dados. Esse é um tema muito demandado e o mapa é fundamental para suprir essa necessidade. O que vemos é que há muita coleta qualitativa em relação à cultura, mas a parte quantitativa fica muito restrita a alguns projetos. Além disso, a plataforma é uma ferramenta de democratização de acesso e criação de eventos para os profissionais da área”, avalia Jéssica.

“Este estudo é de pesquisa etnometodológica e faz uso de uma revisão bibliográfica sobre o tema Produção e Uso da Informação, com foco no uso e produção de informações culturais no contexto digital. Além disso, apresenta dados sobre os agentes cadastrados na plataforma e observa as interações do sistema, investigando a produção e disseminação de conteúdos culturais, bem como as estratégias de comunicação utilizadas para engajar e dialogar com seus usuários”, detalha Valentine Herold, coordenadora do Mapa.

Rodrigo Ramos/Secult-PE/Fundarpe

Rodrigo Ramos/Secult-PE/Fundarpe

Coordenadora do Mapa Cultural de Pernambuco, Valentine Herold destaca a importância do artigo para potencializar os recursos e as ferramentas da plataforma

MAPA CULTURAL DE PERNAMBUCO
Lançado em 2017, a plataforma digital colaborativa nasceu a partir da articulação nacional do então Ministério da Cultura (Minc), com desenvolvimento do Instituto Tim. A plataforma é livre, gratuita, colaborativa e está mapeando as iniciativas culturais de todo o Estado. Atrelado à Secretaria da Cultura do Estado do Pernambuco e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco, o objetivo da plataforma é traçar, em conjunto, o cenário cultural pernambucano, considerando e permitindo o acesso às informações sobre eventos, programas, espaços e agentes culturais.

O sistema pode ser alimentado tanto pela população em geral, que se cadastra como agente de cultura (individual ou coletivo) e pode divulgar suas próprias programações, como pelo Governo do Estado e municípios, que inserem informações sobre os equipamentos culturais, programações oficiais, editais de fomento, entre outras ações.

Atualmente, conta com 4025 agentes cadastrados, 105 projetos e oportunidades disponíveis e 295 espaços listados, entre museus, teatros, cinemas, galerias, centros culturais, entre outros.

< voltar para home