Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

Gestores da Secult-PE/Fundarpe esclarecem dúvidas sobre editais do Funcultura

Reunião foi realizada na tarde desta sexta-feira (3), no auditório do Museu do Estado, com a presença de gestores do Governo de Pernambuco e de representantes do três conselhos consultivos de Cultura

Fernando Figueiroa

Fernando Figueiroa

O secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto, lembrou do pacto de não contingenciamento do Funcultura

Por Marcus Iglesias

Os três conselhos de cultura de Pernambuco (Audiovisual, Políticas Culturais e Preservação do Patrimônio) estiveram reunidos nesta sexta-feira (3), no auditório do Museu do Estado se Pernambuco (Mepe), para tratar de alguns questionamentos enviados previamente à gestão da Secretaria de Cultura de Pernambuco e da Fundarpe sobre os editais do Funcultura – tais como dúvidas sobre repasses, cronogramas e novos fluxos nos editais.

A reunião contou com a participação de diversos conselheiros e conselheiras, bem como do secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto; Presidente de Fundarpe, Marcelo Canuto; secretária-executiva de Cultura, Silvana Meirelles e do vice-presidente da Fundarpe, Severino Pessoa. Na ocasião, foi apresentada aos participantes a nova superintendente-geral do Funcultura, a servidora Aline Oliveira.

Consideramos essa reunião importante porque trata de um Fundo que é de interesse de todos nós. A gente sabe que a questão dos recursos é fundamental pra que seja garantida a realização e o sucesso das iniciativas culturais no estado”, destacou Tereza de França, presidenta do Conselho de Política Cultural de Pernambuco (CEPC/PE).

Fernando Figueiroa

Fernando Figueiroa

Na ocasião, representantes da sociedade civil fizeram perguntas aos gestores

Queria tranquilizar produtores e fazedores da cultura e dizer que há o pacto do não contingenciamento do Fundo. Não há nenhum tipo de descontinuidade na liberação dos recursos do Sistema de Incentivo à Cultura. A mudança da gestão e o impacto da burocracia nas despesas que precisam ser ajustadas entre o ano anterior e o atual é o que tem gerado essa mudança no cronograma. Não há limitação imposta nem em termos orçamentais nem financeiros”, explicou Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura.

Aline Oliveira respondeu a uma série de perguntas feitas por parte dos produtores culturais, e aproveitou para apresentar dados reais dos projetos finalizados e em andamento.

“Dos R$ 32,5 mi do Funcultura, já pagamos mais de 12,5 mi e temos a previsão orçamentária de receber os outros R$ 20 milhões ao longo do ano, quando houver os repasses. Esse montante é um recurso suficientes para pagar todas as nossas atuais pendências. Já os atrasos não foram por falta de dinheiro, mas por conta da transição da gestão”, detalha a superintendente do Funcultura, reforçando que a hipótese de adiamento do edital para o próximo ano, como temiam alguns produtores, é nula.

Ao final da sua apresentação, Aline Oliveira se colocou à disposição para retirada de outras dúvidas. “Pretendo estabelecer uma janela de diálogo, com atendimento ao público agendados. Esse diálogo é fundamental pra que a gente mantenha a situação em ordem. Minha meta nessa nova gestão é: aperfeiçoar os processos; gerar eficiência na estrutura; e democratizar o acesso à cultura”, pontuou a atual superintendente do Funcultura.

Fernando Figueiroa

Fernando Figueiroa

A superintendente-geral do Funcultura, Aline Oliveira, planeja aperfeiçoar os processos

< voltar para home