Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

Nota de pesar: Música pernambucana lamenta partida de Tito Lívio

Ricardo Moura/Cultura.PE

Ricardo Moura/Cultura.PE

O músico faleceu na madrugada desta quinta-feira (23), em sua residência

Pernambuco amanheceu mais triste e saudoso esta manhã, com a partida do compositor e cantor Tito Lívio, que faleceu na madrugada desta quinta (23), vítima de um infarto fulminante, em sua casa, na cidade de Olinda. Autor de xotes, baiões, frevos, entre outros gêneros da música popular nordestina, Tito era um nome respeitado desde a geração da música pernambucana dos anos 70, tendo no cantor Alceu Valença seu intérprete mais frequente, e que lançou as mais belas músicas de Tito para todo Brasil. Quem nunca se balançou ao som de “Arreio de Prata”?

Tito Lívio, em sua carreira solo, lançou quatro discos: Feito pra tocar no rádio, Fala, Cheiro de jasmim e Galope noturno. E suas músicas entraram também no repertório e discos de Elba Ramalho, Lula Côrtes, Dominguinhos, Guadalupe, Zeca Baleiro, entre tantos outros.

Cantor potente e vigoroso nos palcos, Tito era um artista muito querido e atuante no cenário artístico, e estava sempre envolvido em projetos variados. Não é a toa que foi escolhido pelo parceiro e amigo Alceu Valença para viver o personagem Severino Castilho, no filme “A Luneta do Tempo”. Impagável a construção que fez do personagem. Contestador, iconoclasta e boêmio, o poeta Severino escreve um cordel sobre o improvável encontro de Maria Bonita e Lampião no paraíso, ao mesmo tempo em que ataca a igreja e propõe soluções para o povo do Nordeste.

O velório de Tito Lívio acontece no Salão Nobre da Prefeitura de Olinda, nesta sexta-feira (24), às 9h.

Secretaria de Cultura de Pernambuco
Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco

< voltar para home