Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

Pernambuco elege seus novos conselheiros de Cultura

Em plenária histórica, sociedade civil definiu seus representantes no novo Conselho Estadual de Política Cultural

Artistas, realizadores e militantes da cultura pernambucana fizeram na noite da terça-feira, 26 de abril de 2016, um momento para ficar na história da construção democrática de políticas públicas no estado. A Plenária Final do novo Conselho de Política Cultural elegeu os representantes da sociedade civil que passarão a colaborar, propor, acompanhar sistematicamente as ações e políticas para todos os setores da arte e da cultura em Pernambuco.

Secult/PE

Secult/PE

Ao final da plenária, o registro com alguns conselheiros eleitos, delegados e representantes da Secult e Fundarpe

A reunião aconteceu no Teatro Arraial Ariano Suassuna, com a presença de 81 delegados eleitos nos fóruns específicos de cada uma das 20 linguagens ou setores com assento no Conselho. Coube ao Secretário Estadual de Cultura Marcelino Granja dar início à plenária: “É de comemorarmos a chegada deste momento, desta conquista política que é ter um conselho paritário, representativo e democrático em um cenário de grande ameaça à democracia no país. Queremos agradecer a confiança política depositada no processo, que buscou a pactuação entre todos os segmentos para que pudéssemos chegar aqui nesse momento de resistência democrática pela Cultura, que simboliza mais uma vitória da luta do povo brasileiro”, saudou o secretário.

Secult-PE

Secult-PE

A Presidente da Fundarpe Márcia Souto e o Secretário de Cultura Marcelino Granja saudaram os delegados

Para a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, “é um passo importante, que somado ao fato do Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural e do Conselho do Audiovisual já estarem em funcionamento, revela esse esforço necessário que precisamos empreender para garantir cada vez mais participação da sociedade na construção de políticas públicas”.

Cada segmento indicou seus candidatos ao conjunto de delegados presentes. A Comissão Eleitoral garantiu a apresentação e a defesa de todas as candidaturas. Desta forma, os 81 delegados puderam votar em candidatos dos vinte setores e áreas culturais, uma metodologia que estimulou o diálogo e o compromisso de cada candidato com o conjunto das demandas culturais, não apenas com sua área de atuação específica.

Secult-PE

Secult-PE

Delegados apresentaram suas candidaturas ao colégio eleitoral

Esta relação foi destaque na fala de Tereza Luiza de França, conselheira eleita de Cultura Popular de Matriz Africana: “vamos reforçar este diálogo com todas as linguagens, da cultura popular com os demais segmentos, vamos fazer desse conselho um órgão com efetiva representatividade estadual, que sirva à sociedade, também em sintonia com instituições como a UFPE”.

Para a coquista Beth de Oxum, eleita para o assento destinado aos Pontos de Cultura, o Conselho vai ser importante para “garantir leis e políticas públicas de estado, seguiremos na luta ferrenha para que a cultura em pernambuco seja compreendida em sua transversalidade, contemplando a educação e cidadania”, adiantou.

Secult-PE

Secult-PE

Representantes de todos os segmentos culturais participaram da eleição

Representando os fazedores de cultura do sertão pernambucano, Modesto Lopes de Barros apontou como um desafio do Conselho “estimular e colaborar com os municípios na implementação dos Sistemas Municipais de Cultura”. O bailarino Marcelo Sena, eleito para o assento da Dança, comentou que “isto que construímos é uma peça fundamental, extremamente importante neste momento em que precisamos estar atentos, pois não sabemos o que acontecerá com o Ministério da Cultura e com o Sistema Nacional de Cultura”, referindo-se à ameaça de fusão do MinC com o Ministério da Educação.

A cultura popular de matriz indígena contará com a representação de Jacilene Maria dos Santos, do povo Pankararu (Jatobá): “Estou muito emocionada por termos alcançado esta representação, é hora de divulgarmos a existência e contribuir com a cultura dos 12 povos indígenas do estado“. A atriz, produtora e diretora teatral Paula de Renor foi eleita para o segmento de Teatro e Ópera, destacando que “é hora de batalhar com cada vez mais união pela Cultura, tenho certeza de que cada um de nós dará sua contribuição nesse sentido, estamos prontos pra luta!”, finalizou.

O CPC  é paritário e contará ainda com 20 vagas destinadas ao Poder Público. Em breve, o Governo de Pernambuco anunciará a data da posse dos conselheiros.

Confira a lista dos membros da sociedade civil eleitos para o Conselho Estadual de Políticas Culturais: 

Arquitetura e Urbanismo
Titular: Vânia Avelar de Albuquerque
Suplente: Clêsio José Cordeiro da Silva

Artes Visuais e Fotografia
Titular: Cláudio Gomes dos Santos
Suplente: Elias Izidoro Cavalcanti

Artesanato
Titular: Nivaldo Jorge da Silva
Suplente: Maria do Livramento de Aguiar

Audiovisual
Titular: Carolina Vergolino
Suplente: William de Brito Tenório

Circo
Titular: Williams Wilson de Santana
Suplente: Raquel Franco Almeida

Cultura Popular de Matriz Ibérica
Titular: Alexandre José Lira de Morais
Suplente: Altair Leal Ferreira

Cultura Popular de Matriz Africana
Titular: Tereza Luiza de França
Suplente: Cícero Alexandre da Silva

Cultura Popular de Matriz Indígena
Titular: Jacilene Maria dos Santos

Dança
Titular: Marcelo Sena de Oliveira
Suplente: Paulo Henrique da Silva Ferreira

Design e Moda
Titular: Cecília da Rocha Pessoa
Suplente: Maria Adélia Pessoa Collier

Gastronomia
Titular: Masayoshi Matsumoto
Suplente: Neide KazueSakugawa Shinohara

Literatura
Titular: Juliana de Albuquerque Silva
Suplente: Fábio Rogério Rodrigues da Silva

Movimentos Sociais, Comunitários e de Direitos Urbanos, de Mídia Livre, de Juventude e Estudantil
Titular: Heleno Alfredo Santos
Suplente: Jocimar Gonçalves

Música
Ainda não foi eleito o conselheiro da linguagem, pois o candidato mais votado obteve 22 votos, dois a menos que o necessário (30% do total), de acordo com o regimento eleitoral. Sendo assim, a Comissão Eleitoral vai se reunir nos próximos dias com os cinco candidatos da Música. Se for o caso, uma nova Plenária será convocada para eleger, exclusivamente, o representante do setor. 

Produtores Culturais
Titular: Edilton Euclides de Lima
Suplente: Wellington José dos Santos

Pontos de Cultura
Titular: Beth de Oxum
Suplente: Cleonice Maria dos Santos

Teatro e Ópera
Titular: Paula de Renor
Suplente: Feliciano Félix

Agreste
Titular: Arary Marrocos Bezerra Pascoal
Suplente: Radaméis Moura Gomes dos Santos

Sertão
Titular: Modesto Lopes de Barros
Suplente: José Arimatéia M. do Nascimento

Zona da Mata
Titular: Lucas Alves Vasconcelos

< voltar para home