Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

Parceria com Ministério da Cultura e Ancine renderá R$ 20 milhões para o audiovisual de Pernambuco

Suplementação de recursos do Fundo Setorial do Audiovisual ao edital do Funcultura foi aprovado. Estado vai receber aporte no valor de R$ 8,5 milhões, que serão somados aos R$ 11,5 millhões já garantidos em lei estadual.

Divulgação
O governador João Lyra Neto e o secretário de Cultura Marcelo Canuto participaram, junto com a presidente Dilma Rousseff, do lançamento do Programa Brasil de Todas as Telas. A iniciativa objetiva ser o maior programa de desenvolvimento do setor do audiovisual, transformando o Brasil num dos cinco maiores centros produtores e programadores de conteúdos do Mundo. A solenidade de lançamento ocorreu na tarde desta terça-feira (01/07), no Palácio do Planalto, em Brasília. Na ocasião, João Lyra Neto, que administra um Estado que figura entre os três maiores produtores de audiovisual do Brasil, reforçou a parceria de Pernambuco com o Ministério da Cultura e a Agência Nacional do Cinema (Ancine).

O Estado de Pernambuco aderiu recentemente à chamada Pública Nº 1 da Ancine e aguarda um aporte de R$ 8,5 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual. Esses recursos suplementarão o Edital do Audiovisual de Pernambuco (Funcultura Audiovisual) para os anos de 2014/2015. No último ano, o Funcultura garantiu investimentos de R$ 11,5 milhões, o que, somados aos recursos federais, proporcionaria um aporte total de R$ 20 milhões para o próximo ano.

“A tradição pernambucana na área do audiovisual se consolidou ainda mais a partir do Edital do Audiovisual de Pernambuco (Funcultura Audiovisual) com um estímulo maior para a produção local, em valores a cada ano maiores”, destacou o governador, lembrando que, desde 2007 até 2014, já foram investidos no setor do audiovisual recursos da ordem de R$ 55,5 milhões, beneficiando 568 projetos, via editais. “Em 2006, o investimento era de R$ 500 mil. No ano da atual gestão, esse valor vem numa crescente, chegando a R$ 11,5 milhões em 2013/2014″, ressaltou o secretário de Cultura, Marcelo Canuto.

Recentemente fixado como Lei pelo governador João Lyra Neto, o Funcultura Audiovisual é uma referência nacional para o setor e considerado um dos instrumentos mais transparentes e importantes na área no País. Lançado anualmente, o edital do Funcultura abrange toda a área de audiovisual, desde cineclubes a longas metragens.

MAIS AÇÕES – O fortalecimento da cadeira produtiva do cinema em Pernambuco passa ainda por ações de difusão, como o projeto Cinema na Estrada, que nos últimos dois anos realizou 100 exibições em 78 cidades ou distritos do Estado. A ação acontece dentro do circuito de festivais de cultura intitulados Pernambuco Nação Cultural, realizado durante todo o ano, atingindo todas as macrorregiões de Pernambuco, em locais onde o acesso à produção e a equipamentos culturais, como o cinema, é restrito ou mesmo inexistente.

Em 2008, o Governo do Estado criou o Festival de Cinema de Triunfo, um festival de caráter nacional, cujo objetivo é interiorizar as ações de cinema. Este ano, o festival acontece de 4 a 9 de agosto, reunindo 42 produções e cineastas de 11 estados brasileiros. Outra ação governamental importante é o FestCINE, que está na 15ª edição. O evento é direcionado exclusivamente aos curtas de Pernambuco.

O já citado edital do Funcultura Audiovisual proporciona, além da produção de conteúdos, o desenvolvimento e fortalecimento de outros festivais de cinema, produzidos por entidades da iniciativa privada. Em 2006, existiam nove festivais de cinema em Pernambuco. Em 2012, esse número passou para 30.

São políticas públicas como esta que fazem do cinema pernambucano um dos mais aclamados e premiados do país, pela crítica e instituições nacionais e internacionais. Entre os filmes de cineastas pernambucanos mais premiados nos últimos anos, estão “O Som ao Redor” (Kléber Mendonça Filho), “Febre do Rato” (Cláudio Assis), “Tatuagem” (Hilton Lacerda), “Eles Voltam” (Marcelo Lordello), “Era uma vez Eu, Verônica” (Marcelo Gomes), “Boa Sorte meu Amor” (Daniel Aragão), “Doméstica” (Gabriel Mascaro), “Rio Doce-CDU” (Adelina Pontual), “Pernamcubanos” (Nilton Pereira), entre outros.

 

 

Costa Neto

Costa Neto

Secretário de Cultura Marcelo Canuto entre gestores e realizadores do Audiovisual no estado.

 

< voltar para home