Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

São João em todos os cantos de Pernambuco

Renato Spencer

O São João de Pernambuco vai pipocar em vários cantos do estado. A tradição junina é o principal norteador da festa, que levará forrozeiros e demais artistas ligados ao São João para trinta e cinco municípios do estado. Entre eles, Mirandiba, Cabrobó, Camocim, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Cruz do Capibaribe, Itapetim, Moreno, Agrestina, Belém de São Francisco, Catende, São Lourenço, Saloá, Afogados da Ingazeira, Bonito, Parnamirim, Pesqueira, Salgueiro, Exu, Bezerros, entre outras. A festa somará mais de 300 apresentações, e está formada quase por 100% de artistas pernambucanos.

divulgação

O modelo do São João de Pernambuco, promovido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura e Fundarpe, é construído em parceria com as prefeituras das cidades. Estas fornecem a infraestrutura, enquanto a Secult e a Fundarpe oferecem e patrocinam as atrações ligadas ao período. O objetivo é que a grade cultural das cidades do interior fortaleça o sentido da festa junina, impedindo sua descaracterização. O apoio do Governo também se estende a projetos especiais como o São João da Casa da Cultura, da Casa da Rabeca, da Mata Norte e a Caminhada do Forró.

divulgação

“A grade do São João de Pernambuco é fruto de uma convocatória na qual artistas de todo o estado enviam suas propostas para avaliação e contratação, num diálogo que envolve também as prefeituras. Além desse modelo, que preza pela interiorização da tradição junina, também realizamos outros projetos que fortalecem ainda mais as tradições que só Pernambuco oferece, como o coco, o forró pé de serra, o mamulengo, a ciranda. Quem for brincar em espaços como a Casa da Cultura, a Casa da Rabeca ou na Mata Norte, conhecerá tudo isso”, diz o secretário de cultura de Pernambuco, Marcelo Canuto.

Centenas de artistas estão envolvidos na festa.  São presenças garantidas no São João de Pernambuco nomes como Novinho da Paraíba, Maciel Melo, Petrúcio Amorim, Flávio Leandro, Alcymar Monteiro, Gabriel Diniz, Jaiminho de Exu, Herbert Lucena, Maciel Salu, Beto Hortis, Daniel Bento, Terezinha do Acordeom, Jorge de Altinho, Luciano Magno, Nádia Maia, Irah Caldeira, Geraldinho Lins, Amazan, Danilo Pernambucano, entre muitos outros grupos de forró, trios de pé de serra, etc.

divulgação

CASA DA CULTURA – Equipamento cultural ligado ao Governo de Pernambuco, a Casa da Cultura recebe turistas de todo estado. Lá, o Ciclo Junino 2014 será de muita animação, já a partir dessa sexta-feira (20). Comerciantes e turistas que visitarem o centro de artesanato, pela manhã ou à tarde, assistirão a trios e bandas do autêntico forró pé de serra.

De acordo com o presidente da Fundarpe, Severino Pessoa, “a programação está alinhada à proposta de fortalecer nossas tradições culturais juninas e, ao mesmo tempo, incentivar o turismo e a cadeia produtiva do artesanato pernambucano”. As apresentações começam sempre às 11h e seguindo até 14h30, no anfiteatro da Casa da Cultura. A Casa da Cultura de Pernambuco fica localizada no bairro de Santo Antônio, no Recife, e funciona de segunda a sábado, das 9h às 19h. Aos domingos também está aberta, no horário das 9h às 14h.

PIPOCO – Pelo quarto ano consecutivo, a Secult e Fundarpe apoiam o Pipoco no São João da Mata Norte. Tendo como curador o brincante Manoel Salustiano (filho do saudoso Mestre Salustiano), este evento originou-se da tentativa de reanimar a tradição dos bacamartes (daí o nome, Pipoco) nas cidades da Mata Norte, que estavam em processo de desativação. “É uma coisa que tem que cuidar senão acaba, assim como os trios de pé-de-serra, a tradição da rabeca, da sanfona, a cantoria de viola, o coco de roda, as quadrilhas matutas, as cirandas e os mamulengos”, diz Manoel,  citando as brincadeiras populares que estão sendo contempladas neste roteiro, que passará por doze comunidades da Mata Norte, entre os dias 21 de junho a 12 de julho.

A programação do Pipoco da Mata Norte evidencia festas que foram criadas por alguns dos seus mestres populares. O papel do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, foi de reconhecer e cuidar para garantir a manutenção e maior estruturação dos eventos.  “Mas já são festas tradicionais, realizadas pelos mestres, em suas próprias palhoças, ou terreiros”, pontua Salustiano.

Estão no roteiro do Pipoco da Mata Norte as comunidades de Açude de Pedra e Comunidade Rural Camboa, ambas na cidade de Lagoa de Itaenga, organizadas pelo Mestre Nieto, pandeirista e um dos mais importantes agentes culturais desta região. Em Glória do Goitá, a festa acontece no terreiro do Maracatu Carneiro da Serra e na Comunidade Jatobá, do mestre Biu Caboclo, outro importante artista da região, que domina as culturas do maracatu, do coco e da cantoria de viola. Em Carpina, o São João passa pelo terreiro do Maracatu Leão Vencedor, do famoso Mestre Biá. Em Nova Goiana (Goiana), a festa será no terreiro do Leão da Fortaleza, do Mestre Peu. Além de apresentações de forró de sanfona, de rabeca, de grupos de coco e mamulengo, a programação inclui os grupos que originaram este projeto: os bacamarteiros. O São João do Pipoco tem conseguido organizar esses grupos. Atualmente, em Lagoa de Itaenga, por exemplo, eles já têm autorização do juiz para se apresentar.

Daniela Nader

 

MAIS SÃO JOÃO – Para quem ficar na capital, outra opção de festa junina está na Casa da Rabeca (Cidade Tabajara, Olinda), onde a programação junina acontece do dia 21 ao dia 24, com entrada gratuita. Passarão por lá nomes como Jaiminho de Exu, Herbert Lucena, Maciel Salu e Família Salustiano, Ivan Ferraz, Bia Marinho, Chico Bala, Beto Hortiz, André Macambira, Terezinha do Acordeom, Dinda Salu, entre outros.

< voltar para home