IGREJA NOSSA SENHORA DOS MILITARES


A fundação da irmandade pelos soldados da guarnição do Recife remonta ao início do século XVIII. A igreja foi construída por iniciativa do mestre-de-campo João Lobo de Lacerda. É desconhecida a data do início da construção. Em 1726 estava pronta a capela-mor. As obras foram concluídas em 1771, sem os acabamentos do interior, que se prolongaram até 1870, quando foi contratado o serviço de douramento da capela-mor e dos altares laterais. Nesse mesmo ano foi executada, por Bernardo Luís Ferreira, a talha do forro da nave. A pintura do teto da nave, representando a Batalha dos Guararapes, foi executada em 1781, por ordem do Governador José César de Meneses. Na igreja estão sepultados o Barão de Vitória, que lutou na Revolução Praieira, e o General Mamede Simões, participante da Guerra do Paraguai. O museu foi inaugurado em 1966.

O frontispício é dividido por cornijamento reto e cunhais de pedra. Apresenta conjunto de portas de vergas retas e folhas almofadadas, encimadas por frontões interrompidos, sendo as laterais extremas mais baixas. As janelas do coro são de vergas retas e frontões iguais, em disposição e modelo, aos das portas. Frontão em volutas, encimado por cruz, e platibanda reta coroam o frontispício. A torre, localizada à direita, possui óculo, sineiras em arco pleno, cornija reta e coroamento em bulbo de arestas.

No seu interior os corredores laterais da igreja são ricamente decorados. O coro possui balaustrada em talha com douração, está apoiado em colunas e nas paredes. Tribunas guarnecidas por guarda-corpo de balaústres iguais aos do coro, janelas de vergas retas ornadas por sanefa em talha e douração. Púlpitos entalhados e dourados com escudos e anjos. Acima da verga reta, sanefa entalhada e dourada. As tribunas e coros estão dispostos simetricamente nas paredes laterais. O forro da nave e toda a parede onde estão o arco cruzeiro e os altares colaterais são ricamente entalhados, possuindo painéis pintados e douração. Coroando as paredes e em torno de toda a nave, balaustrada e cornijamento também em talha e douração. A balaustrada serve de proteção à galeria e tribunas existentes logo abaixo do forro. A capela-mor possui forro e retábulo entalhados, sendo o retábulo ornado por colunas salomônicas. Altar-mor encimado por nicho com a imagem da santa titular. No trono entalhado, imagem do Sagrado Coração de Jesus emoldurada por espelho de talha dourada. No florão do arco cruzeiro, o símbolo da irmandade e coroa com anjos. A sacristia possui pia em pedra, nicho com imagens e forro sem pinturas.

Tombamento: Processo nº 4-T, Inscrição nº 9, Livro Belas-Artes, fls. 3. Data: 28.03.1938.

 
Púlpito
Painel Forro
Imagem Sant'Ana