Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Cultura popular e artesanato

Aniversário de Arlindo dos Oito Baixos é lembrado em live sobre seu fole nesta terça-feira (13)

Conversa sobre legado e salvaguarda do instrumento acontece às 19h, nos canais da Secult-PE e do Cais do Sertão, no Youtube

Foto: Eric Gomes

Foto: Eric Gomes

Aniversário de Arlindo dos Oito Baixos é o mote da live desta terça (13)

No dia 16 de abril, o sanfoneiro pernambucano Arlindo dos Oito Baixos completaria 79 anos, se vivo estivesse. Patrimônio Vivo de Pernambuco, in memorian, o músico continua sendo uma grande referência para os adeptos e apreciadores de uma tradição musical que teve expoentes como Januário e Luiz Gonzaga, citando os mais famosos. Para marcar a data, a Secult-PE/Fundarpe realiza, nesta terça (13), a transmissão virtual de uma conversa sobre o instrumento que virou símbolo do artista. “O fole de Arlindo dos Oito Baixos – Legado e salvaguarda” acontece às 19h, nos canais do Youtube da Secult-PE/Fundarpe e do Cais do Sertão.

Participam da transmissão Ivison dos Oito Baixos, um tocador caruaruense entusiasta da formação em Oito Baixos, o produtor cultural Anselmo Alves e o músico e pesquisador Leo Rugero. A mediação será feita por Leda Dias, que é pesquisadora da sanfona e atualmente gerente de Políticas Culturais da Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE).

“A passagem do aniversário de Arlindo traz a possibilidade de conversarmos sobre o instrumento que ele representava como expoente maior aqui no estado de Pernambuco. O fole de oito baixos tem uma importância fundamental para nossa música nordestina, como base para expressões musicais do Nordeste, vinculadas basicamente ao forró, e vemos que grandes nomes começaram com o fole de oito baixos, como Dominguinhos, Luiz Gonzaga e Sivuca”, afirma a mediadora do encontro virtual.

Segundo Leda Dias, a relação do fole com o Nordeste brasileiro vai além da simples adoção do instrumento. “Aqui ele recebeu uma a afinação diferenciada. Ou seja, existe uma característica peculiar para o fole de oito baixos no Nordeste brasileiro. Então, a gente deve conversar um pouco sobre isso, a importância como patrimônio e também a situação atual. Discutir o que a gente espera no mercado da música para o fole de oito baixos, quando a gente vê artistas jovens, como Ivison, que é um excelente tocador, desenvolve um trabalho sobre o instrumento e reinventa essa arte do fole dos oito baixos”, adiantou sobre a live. Para conferir, aperte o play abaixo:

Serviço
Live “O fole de Arlindo dos Oito Baixos – Legado e salvaguarda”
Terça (13/4), às 19h
Canais do YouTube da Secult-PE/Fundarpe e do Cais do Sertão
Acesso livre

< voltar para home