Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Cultura popular e artesanato

Site “Mulheres que Tecem Pernambuco” ganha nova versão

Bordado e crochê produzido por elas ganham registro em texto, foto e vídeo em pesquisa incentivada pelo Funcultura. A inciativa vai ganhar também um canal no Youtube

Divulgação

Divulgação

O site mapeia histórias e bordadeiras de várias cidades pernambucanas, como Macaparana, Passira, Lagoa do Carro e Poção

Em respeito às medidas sanitárias preventivas contra o novo Coronavírus, o site “Mulheres que Tecem Pernambuco”, incentivado pelo Funcultura, ganha lançamento virtual n​a próxima quarta (2) e sexta-feira (4)​, às 15h, no canal do projeto no YouTube onde serão transmitidas duas lives-debate. Para esta segunda edição, foram mapeados os municípios de Macaparana, na Zona da Mata Norte, e Passira, no Agreste, com personagens e suas narrativas registradas em texto, vídeo e fotos.

Enquanto a primeira recebeu o título de “capital estadual do crochê”, a segunda é conhecida como “a terra do bordado manual”. Clara Nogueira, coordenadora e pesquisadora da pesquisa cultural, conta que a ideia inicial era apresentar as histórias por trás desses títulos: “chegamos e encontramos algumas dessas fazedoras de cidade, como eu as chamo. Felizmente, conhecemos e conversamos com elas que fizeram e sustentam esses títulos”.

A primeira live-debate, na quarta (2), às 15h, se trata de um bate-papo com a equipe que esteve em campo nesta edição, formada por Laura Melo (fotógrafa e videomaker), Clarissa Machado (artista visual e pesquisadora), Lucyana Azevedo (pesquisadora), Rose Lima (produtora executiva), Laura Morgado (designer) e Célia Menezes (webdesigner) e Clara Nogueira, também idealizadora do projeto realizado pela Linhas de Fuga e Experimento Produções. ”Algumas das mulheres da equipe também têm envolvimento com a linguagem têxtil como poética”, conta Clara, “e esse enlace entre suas funções no projeto e seus projetos pessoais com os têxteis trouxeram pro resultado da pesquisa um diálogo importante”.

Em nova leva de entrevistas com mulheres artesãs do município de Passira e Macaparana, os textos presentes na plataforma virtual contam um pouco sobre a vida dessas personagens, bem como suas práticas de crochê e bordado, além de trazer um pouco da história dessas cidades a partir de suas narrativas. Uma das histórias é a da macaparanense Kátia Milene: “Achei interessante o projeto Mulheres que Tecem Pernambuco pelo fato de dar importância ao processo criativo do artesanato. Digamos que aqui, na região onde a gente mora, a gente não tem a devida visibilidade. Nós, que fazemos artesanato. O trabalho vai embora. E muita gente que compra e que recebe não sabe nem a pessoa que fez. Achei ótimo as meninas terem esse cuidado de fazer foto, vídeo, registrar as nossas falas”, diz ela, que participa também da ​​live da sexta-feira (4), também às 15h, com a passirense Lúcia, em conversa mediada por Clara Nogueira.

Assim como no primeiro ano do projeto, quando foram publicadas as narrativas políticas e criativas das ”Mulheres que Tecem Pernambuco”, nos municípios de Lagoa do Carro, Poção e Tacaratu, no ar desde 2018 no endereço: www.mulheresquetecempe.com.br, em 2020 outras treze mulheres das localidades de Macaparana e Passira têm as suas falas amplificadas, em primeira pessoa, totalizando assim 31 mulheres contempladas desde a primeira edição do projeto em 2018.

Serviço
Lives de lançamento do site “Mulheres que tecem Pernambuco”
– LANÇAMENTO 2ª EDIÇÃO MULHERES QUE TECEM PERNAMBUCO, com a equipe: Laura Melo, Clarissa Machado, Lucyana Azevedo, Rose Lima, Laura Morgado, Célia Menezes e Clara Nogueira. Mediação: Kalor. ​Quarta-feira (2), às 15h
- CONVERSA COM AS MULHERES QUE TECEM: D. Lúcia Firmino (Passira) e Katia Milene (Macaparana). Mediação: Clara Nogueira. ​Quinta-feira (4), às 15h
Endereço: www.youtube.com/channel/UCPD5DjVeWBQV0t4q1doNQ_w

< voltar para home