Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Literatura

Goiana promove primeira edição de sua feira literária

Evento acontecerá de 13 a 19, no Sesc Ler da cidade, com programação gratuita e para todas as idades

Sennor Ramos/Divulgação

Sennor Ramos/Divulgação

Vencedora do Prêmio Jabuti, a escritora Cida Pedrosa é uma das atrações da Feira Literária de Goiana

Cidade que tem na cultura uma de suas mais fortes expressões, Goiana, na Zona da Mata Norte, ganha a sua primeira feira literária agora em dezembro. A iniciativa é da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) que realiza a 1ª Feira da Literatura de Goiana (Fligo), de 13 a 19, no Sesc Ler Goiana. Serão quase 50 atrações gratuitas nas mais diversas linguagens artísticas, com destaque para lançamentos e bate-papos literários, exibição de filmes, shows musicais, apresentações teatrais e atividades infantis. A feira conta com o apoio da Prefeitura Municipal, do Sesc e tem curadoria da Fundação Gilberto Freyre.

A Fligo levará para Goiana nomes importantes da cena literária nacional. A poeta pernambucana Cida Pedrosa, grande vencedora da 62ª edição do Prêmio Jabuti (2020), com Solo para Vialejo (Cepe), é uma das atrações da terça-feira (14) e falará sobre a literatura como espaço de resistência focando também na sua própria trajetória.

A escritora, jornalista e documentarista mineira Daniela Abex é destaque da quarta-feira. Autora de livros célebres como o Holocausto Brasileiro, Genocídio: 60 mil mortos no maior hospício do Brasil – melhor livro-reportagem pela Associação Paulista de Críticos de Arte (2013) e segundo melhor livro-reportagem pelo Prêmio Jabuti (2014); e do título Todo dia a mesma noite – que aborda a tragédia que matou 242 jovens na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria (RS), em 2013. Daniela Abex conta com mais de vinte prêmios nacionais e internacionais e vem tendo sua obra adaptada para o cinema. Na Fligo,, ela falará sobre o papel do jornalismo como construtor da memória coletiva brasileira. A apresentação da palestra será da jornalista, escritora, professora e pesquisadora do Núcleo de Design e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Fabiana Moraes.

Vencedora de prêmios como o Casa de las Américas (Cuba), São Paulo de Literatura e o Jabuti, a escritora, educadora, freira missionária e feminista Maria Valéria Rezende participa na quinta-feira (16), às 19h. Paulista radicada em João Pessoa, e uma das mais talentosas escritoras da literatura brasileira contemporânea, Maria Valéria Rezende foi criadora do Movimento Mulherio das Letras – coletivo que reúne mais de sete mil escritoras, ilustradoras, editoras, livreiras e pesquisadoras de diversos países que tem como proposta dar visibilidade à produção literária feminina.

Independência e Modernismo - O Bicentenário da Independência do Brasil e o centenário da Semana de Arte Moderna, eventos que marcarão a pauta histórico-cultural nacional em 2022, também são temas presentes na Fligo. Na terça-feira (14), às 15h30, o historiador e sócio do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano George Cabral e o presidente do Instituto Histórico, Arqueológico e Geográfico de Goiana, Harlan Gadelha, conversam sobre o rompimento com Portugal analisando o fato histórico a partir do processo de independência de Pernambuco que, segundo George Cabral, se inicia um ano antes do restante do Brasil.

Na quarta-feira (15), às 15h30, o jornalista e escritor Bruno Albertim conversa com a editora digital da revista Continente, Olívia Mindêlo, no painel sobre o Modernismo brasileiro. “Um dos grandes mitos da historiografia da arte no Brasil é que o advento e o fenômeno do modernismo poderiam ser explicados e justificados a partir de toda a movimentação de intelectuais e artistas, que eclodiu na Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo. Isso é uma das maiores falácias, que foi corroborada ao longo da história por processos históricos respaldados pelo poderio econômico. Então, além daquele modernismo paulistano, tivemos e temos uma série de outros modernismos no Brasil. O de Pernambuco é um dos mais contundentes e longevos”, destaca o autor do livro Pernambuco modernista, um dos lançamentos da Cepe Editora em 2022.

Para a curadora da Fligo, Jamille Barbosa, a feira chega com a proposta de ser um espaço de fruição artística, evidenciando, sobretudo, a produção cultural dos realizadores locais. Essa preocupação pontua a programação que promete bons momentos. Pelo menos dois deles acontecerão na quinta-feira (16).

Considerado o principal projeto de divulgação de literatura hoje em curso na região, o Recita Mata Norte: Andanças Literárias reunirá os poetas Ademauro Coutinho (Goiana), André Pina (Carpina), Cris Souza (Carpina), Endreson Ribeiro (Nazaré da Mata), Enoo Miranda (Nazaré da Mata), Ezter Liu (Carpina), Geisiara Lima (Timbaúba), Philippe Wollney (Goiana), Sandro Gonzaga (Goiana), Thalita Medeiros (Goiana), Wander Shirukaya (Itambé) e Wilemberg Gonçalves (Nazaré da Mata) para a Roda Literária que acontecerá às 17h. “Acho muito importante a iniciativa da Cepe em realizar a Fligo, primeiro por ser um espaço para a literatura, livros e poesia após essa temporada de epidemia e confinamento. Segundo, pelo caráter inédito desse tipo de ação aqui na cidade, porque defendemos e acreditamos que esse território é rico e um grande produtor de poesia, em múltiplas vertentes, entre elas a que usa o livro como suporte”, assegura o poeta goianense Philippe Wollney.

Editoras independentes - Também na quinta-feira, o bate-papo Editoras independentes: independentes de quê?, às 15h30, traz o debate sobre espaços e representatividade no mercado editorial. A mediação será do escritor e editor (Mariposa Cartonera) Wellington de Melo, com participação de Philippe Wollney (Porta Aberta), Enoo Miranda (Vão edições), Wander Shirukaya (Enclave Editorial) e Endreson Ribeiro (Cartonera da Zona). “Fico muito feliz com o convite para participar da Fligo e conversar com editores que vêm fazendo um trabalho muito importante na Zona da Mata Norte nos últimos anos. A volta gradual e com segurança de eventos literários da Cepe é muito importante para o fortalecimento do setor e a editora tem um papel importante nesse sentido”, afirma Wellington de Melo.

Diversos autores da Cepe também participarão da feira. O jornalista Paulo Santos apresentará no espaço do Café Literário, na quarta-feira, às 17h, o seu mais novo livro, Pernambuco: histórias e personagens, lançado recentemente. Na sexta-feira, os escritores Frederico Toscano e João Paulo Parísio se encontram no painel Literatura Fantástica e o Imaginário Popular, que contará com mediação do jornalista Roberto Beltrão, criador do site Recife Assombrado.

A Fligo reserva ainda uma grade especialmente dedicada para a criançada, com oficinas, contações de histórias, tendas de brincadeiras e muita diversão. A poeta cordelista Mari Bigio, e sua irmã musicista Milla Bigio, é atração da terça-feira com o show Contos e Canções de Natal. Na quinta-feira, o Grande Circo das Maravilhas apresentará sua trupe de palhaços que resgata brincadeiras e tradição dos circos sem lona.

O presidente da Cepe, jornalista Ricardo Leitão, comemora a chegada em Goiana. “A Fligo tem uma importância especial por ser a primeira feira que a Cepe realiza na Zona da Mata Norte e passará a representar a região na programação das nossas feiras presenciais. Com ela, a Cepe reafirma o compromisso com a cultura de Pernambuco, o fomento do livro e da leitura”, destacou.

Acompanhe a programação da 1ª Feira Literária de Goiana – Fligo
Data: 13 a 19 de dezembro
Horário: 9h às 20h
Local: Sesc Ler Goiana
Endereço: Rua do Arame, s/n, Centro, Goiana
Entrada franca

< voltar para home