Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Seis novos Patrimônios Vivos são eleitos em Pernambuco

O pleito dos novos titulados aconteceu na manhã desta quinta (12), em reunião on-line do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC), vinculado à Secult-PE/Fundarpe

O Governo do Estado anunciou os seis novos selecionados no concurso anual de Registro de Patrimônios Vivos de Pernambuco. A votação ocorreu na manhã desta quinta (12), em reunião on-line do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC), vinculado à Secretaria de Cultura. Os escolhidos receberão diploma com o título de “Patrimônios Vivos de Pernambuco” e bolsa mensal vitalícia no valor de R$ 1.600 (no caso de pessoa física) e R$ 3.200 (quando for grupo, entidade, agremiação ou associação).

Dentre os mais de 90 candidatos inscritos no certame, foram selecionados: Mestre Luiz Antônio (Barro – Caruaru), Maria Jacinta Sampaio da Silva (Mestra de Reisado – Santa Maria da Boa Vista), Marliete Rodrigues (Barro – Caruaru), Velho Xaveco (Pastoril – Recife), Mãe Beth de Oxum (Coco – Olinda), Caboclinho União 7 Flexas (Goiana).

O Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco tem por finalidade o apoio financeiro e a preservação dos processos de criação e divulgação de técnicas, modos de fazer e saberes das culturas tradicional ou popular pernambucanas mediante atividades, ações e projetos desenvolvidos por pessoas físicas ou jurídicas de natureza cultural, sem fins lucrativos, residentes ou domiciliados e com atuação no Estado há mais de 20 anos, contados da data do pedido de inscrição. Até hoje, 75 Patrimônios Vivos foram registrados.

Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe e integrante do Conselho Estadual de Preservação, participou da votação e exaltou o alto nível dos participantes da seleção. “A cada ano nós temos uma lista de nomes, cuja importância evidencia o peso da nossa cultura. Nosso patrimônio está guardado nas mãos de pessoas que merecem nosso profundo respeito e admiração”, disse o gestor.

“O registro de mais seis Patrimônios Vivos significa a salvaguarda de mais seis expressões culturais de Pernambuco. Ajudar a garantir a produção e o legado dessas pessoas e entidades é o ponto mais importante dessa ação que é uma das mais especiais do Governo Estadual”, afirmou o secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto.

Confira abaixo o perfil dos mais novos Patrimônios Vivos de Pernambuco:

Crédito: Sérgio Bernardo

Velho Xaveco
Antônio Coutinho completou 86 anos e é considerado o Velho do Pastoril mais antigo de Pernambuco. Nascido em Bezerros, no Agreste, ele interpreta o Velho Xaveco desde 1978. Foi pupilo de outros velhos que marcaram sua época, com destaque para o Faceta, que gravou o famoso “Papai, eu quero me casar”. Velho Xaveco já foi homenageado do Natal do Recife e é hoje o maior expoente do Pastoril Profano, manifestação cultural que ele conheceu aos 10 anos de idade, quando morava no bairro de Tejipió, no Recife.

Divulgação

Marliete Rodrigues
A mestre do barro nasceu no Alto do Moura, em Caruaru, quando ainda era uma pequena vila. A brincadeira com a matéria-prima abundante na região rapidamente passou para a produção de peças postas à venda na Feira de Caruaru, já aos seis anos de idade. Aos 57 anos, Marliete Rodrigues tem hoje uma coleção de peças espalhadas pelo mundo e é figura ativa na região, apresentando sua visão sobre seu lugar e seu cotidiano. Seu estilo preza pela expressividade de seus personagens, buscando um realismo sutil.

Crédito: Jan Ribeiro Secult-PE/Fundarpe

Mãe Beth de Oxum
Maria Elizabeth Santiago de Oliveira é mestra da cultura popular de Pernambuco, nascida e criada na comunidade da Barreira do Rosário, arredores do Sítio Histórico de Olinda. Mãe Beth de Oxum tem 57 anos e um forte legado com a brincadeira do coco de roda. É casada com o Mestre Quinho Caetés e tem quatro filhos, todos inseridos no universo da cultura do coco de roda. Tem uma trajetória de luta pela difusão da brincadeira do coco e realiza, há 25 anos, a tradicional Sambada de Coco do Guadalupe.

Divulgação

Mestre Luiz Antônio
Nascido em 1935, no Alto do Moura, em Caruaru, Luiz Antônio da Silva é considerado um dos principais nomes na arte popular brasileira. É discípulo contemporâneo do Mestre Vitalino, dando continuidade ao legado do maior nome do barro do Brasil. Recebeu vários prêmios nacionais e é conhecido por retratar as profissões, além de esculpir automóveis e motocicletas. Para perpetuar o trabalho produzido pelo artista, um museu privado está em construção nos fundos de seu ateliê.

Divulgação

Mestra de Reisado Maria Jacinta
Aos 96 anos, Maria Jacinta Sampaio da Silva é uma das mais antigas mestras de cultura popular em Pernambuco. A Mestra de Reisado viu o primeiro reisado em sua casa, ainda criança. Acabou fundando seu próprio grupo, nos anos 1960, com marido e filhos. Outras famílias da vizinhança davam corpo ao grupo que se apresentava a cada 6 de janeiro, Dia dos Reis. A pé, de caminhão ou de canoa, o Reis de Maria Jacinta cumpre até hoje sua função e leva a tradição até escolas, projetos sociais e onde mais as portas se abrem ao Movimento Viva Reis, que reúne outros grupos dessa tradição no Sertão do São Francisco.

Caboclinhos 7 Flexas

Caboclinhos União 7 Flexas de Goiana
A agremiação foi fundada em 25 de março de 1991, pelo Mestre Nelson Ferreira, na cidade de Goiana (Zona da Mata). É uma das mais importantes manifestações culturais do Estado e representou a cultura pernambucana na abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Na prática festiva, o grupo apresenta os ensinamentos dos caboclos e encantados, referências de um povo que preserva a natureza e luta para preservá-la. No Carnaval, levam para a passarela o brilho e esplendor de suas batalhas cotidianas.

< voltar para home