Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Secretaria de Cultura

Live traça paralelo entre a gripe espanhola e atual pandemia de Covid-19 no Recife

Palestra para marcar os 159 anos da criação do Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico de Pernambuco será transmitida pelo YouTube da Secult-PE, nesta quinta (28), às 19h

Divulgação

Alexandre Caetano produziu dissertação de mestrado sobre a gripe espanhola

Para marcar os 159 anos de fundação do Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico de Pernambuco (IAHGP), acontece nesta quinta (28) a transmissão ao vivo da palestra Uma Analogia Necessária: a Gripe Espanhola de 1918 e a Covid-19 no Recife. A live, parceria do Instituto com a Secult-PE, poderá ser acompanhada no youtube.com/secultpe, às 19h. Quem vai conduzir a apresentação é o professor Alexandre Caetano da Silva, estudioso do tema. No dia 6 de março, Data Magna de Pernambuco, acontecerá a entrega de medalhas e posse de novos associados do Instituto.

Silvio Amorim, presidente do IAHGP, explica que o evento presencial que ocorreria nesta quinta precisou ser substituído pela palestra virtual por causa do decreto proibindo aglomerações. A ideia do tema se deu pela relevância e interesse público.

“Alexandre tem um trabalho consistente sobre a gripe espanhola no recife. Ele vai traçar um paralelo entre as duas pandemias. Muita coisa que está acontecendo agora, aconteceu naquela época aqui. Essa segunda onda, uma terceira onda, as tragédias. Inclusive, a gripe espanhola entrou no Brasil pelo porto do recife”, lembrou.

Alexandre Caetano explica que sua pesquisa embasou a dissertação de mestrado sobre a gripe espanhola especificamente no Recife. “A proposta da palestra é fazer essa analogia do que o poder público fez à época e o que está fazendo hoje, quais as profilaxias que eram colocadas em prática naquele tempo, o que se pode colocar hoje, o comportamento da sociedade, da economia, como as pessoas se comportavam em 1918 e hoje. O diálogo da palestra será em função desse comparativo histórico”, detalhou o pesquisador.

< voltar para home