Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Euterpina de Timbaúba

Marcelo Soares/Secult-PE

A Banda Euterpina foi fundada pelo professor José Mendes da Silva, no dia nove de fevereiro de 1928, na cidade de Timbaúba, conjunto a pessoas que gostavam de ouvir e de ver as apresentações (retretas) nas praças e demais locais públicos como Igrejas, clubes e teatros.

Seu nome tem origem na musa da música, Euterpe, personagem da mitologia grega, e pela sua tradição. Carrega a expressão comercial timbaubense por ser mantida por comerciantes locais, sendo conhecido como Banda Musical Euterpina Comercial de
Timbaúba.

Em 1962, a Euterpina encerrou suas atividades por falta de ajuda substancial dos poderes públicos, passando cerca de trinta anos em inatividade. Somente na década de noventa, conseguiram uma sede para a realização de eventos e para a guarda de instrumentos.

A partir de 2006, a Banda passou a chamar-se Associação Musical Euterpina de Timbaúba, reafirmando que o grupo se reúne sem fins lucrativos. Seus componentes, oriundos da Escola de Música Mestre Carneiro possuem as mais variadas atividades econômicas, não vivendo da música.

Atualmente está sob a regência do maestro Josivânio Rique de Lima e conta com quarenta componentes, que lutam para mantê-la em atividade. A associação vem formando músicos por mais de oitenta anos, sendo eleita Patrimônio Vivo de Pernambuco em 2012.

Confira abaixo o vídeo ‘Viva à Resistência da Música’, produzido pelo Jornal do Commercio, com incentivo do Governo de Pernambuco, que documenta um pouco sobre a Euterpina de Timbaúba, na série ‘Pernambuco Vivo’.