Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Conselho de Preservação

NOTA DE PESAR – André Madureira, Patrimônio Vivo de Pernambuco

O Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC) manifesta o seu mais profundo pesar pelo falecimento do multiartista e Patrimônio Vivo de Pernambuco André Madureira, 69 anos, ocorrido neste sábado (15). Nascido em Garanhuns, no Agreste pernambucano, radicou-se no Recife desde a sua adolescência, quando iniciou a sua trajetória profissional, a partir do final dos anos 1960.

Fundou, em 1972, o Grupo Teatral Gente da Gente, que germinou, em 1977, na criação do Balé Popular do Recife, quando ele se multiplicou em diversas artes, tendo sido diretor, produtor, coreógrafo e encenador, elevando a arte e a cultura pernambucanas aos patamares mais altos deste nosso Brasil, além de difundi-las por diversos países, mundo afora!

André Madureira também foi presença marcante na imprensa falada, haja vista o fato de ter sido apresentador de programas de rádio e TV do Sistema Jornal do Commercio, sempre incentivando a cultura, através dos espaços por ele ocupados na mídia radiofônica e televisiva.

Mas o seu sonho, seu ideal, estava no Balé Popular do Recife, onde deixou a marca indelével do seu talento e onde ele deu significado ao seu legado de artista multifacetado, caleidoscópico, qual o ecletismo de sua obra eternizada nas lições ministradas, na formação de dançarinos e dançarinas desde a idade infantil à mocidade em cujos passos ele ensinou o passo do frevo e diversas outras danças do nosso folclore.

Vitimado, há vários anos, pela Doença de Parkinson, assumiu, como ele gostava de dizer, a posição de guru do Balé Popular do Recife, orientando também o grupo na consecução de medidas necessárias à sua sobrevivência.

A causa da morte divulgada pela família foi insuficiência respiratória. André Madureira partiu, deixando esposa, cinco filhos e doze netos.
Pernambuco, com a sua morte, perde a voz e o talento de um árduo e permanente defensor da cultura do Estado.

André Madureira viverá enquanto houver a dança e a arte, o imaginário popular, que sabe guardar fidelidade àqueles que deram e se deram à ingente causa da cultura.

Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC) 

< voltar para home