Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fotografia

Museu Murillo La Greca inaugura a exposição “Concreto Corpóreo”

A mostra será inaugurada na próxima terça-feira (14), às 19h. O acesso é gratuito

Divulgação

Divulgação

A exposição “Concretos Corpóreos” reúne trabalhos de diversos fotógrafos pernambucanos, dentre eles, o ensaio de Pedro Henrique Reinaux, “Sonhos Não Roubados”

O corpo, a casa e o território como marcos fundamentais para a compreensão dos movimentos urbanos. Essa é a narrativa central da exposição “Concreto Corpóreo”, que entra em cartaz nesta terça-feira (14), no Museu Murillo La Greca. A mostra, uma atividade vinculada ao Expolab (Laboratório de Expografia do curso de Museologia da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE), será aberta ao público a partir das 19h e conta com diversas expressões artísticas vivenciadas na capital pernambucana.

A seleção dos trabalhos que compõem o evento foi feita por meio de chamada pública. Entre os selecionados, está o ensaio documental “Sonhos Não Roubados”, realizado pelo fotógrafo Pedro Henrique Reinaux na comunidade Palha de Arroz, localizada nas proximidades do bairro do Arruda, na Zona Norte do Recife.

Em uma cidade que fica abaixo do nível do mar, Pedro decidiu mergulhar nos espelhos formados pelas poças de água de uma comunidade popular. “Eu escolhi questionar alguns estereótipos. Através da fotografia podemos reafirmar e reavaliar nossas referências. Quais corpos e quais interesses sociais desabitam para que outros corpos habitem e desfrutem de determinado território?”, pergunta o fotógrafo e um dos expositores selecionados da mostra.

A proposta de “Sonhos Não Roubados” é traçar um contraponto aos estereótipos criados sobre moradores das mais diversas comunidades das periferias, locais que geralmente são associados à violência urbana. Lá, muitos de seus moradores são vistos como responsáveis pela violência, quando na grande maioria das vezes são vítimas da guerra de expansão territorial, tão atual no Brasil. O ensaio foi resultado da oficina de Fotografia Documental ministrada pelo fotógrafo documental João Roberto Ripper no Museu da Abolição, durante sua exposição “Uma deliciosa teimosia em ser feliz”, realizada pela ONG Centro Sabiá, em 2017.

Divulgação

Divulgação

O fotógrafo Pedro Henrique Reinaux integra a equipe de Comunicação da Secult-PE/Fundarpe

Fotógrafo
Atualmente fotógrafo da Secult-PE/Fundarpe, PH Reinaux é bacharel em Comunicação Social, com especialidade em Fotografia pela AESO Barros Melo. Já atuou como estagiário do Jornal Brasil de Fato PE entre 2016 e 2017, e na CUT- PE em 2018, participou da Oficina de Fotografia Documental com João Ripper. Exposição Multifacetadas realizada na galeria de São Bento da AESO Barros Melo. Exposição “Engenho Xixaim Ocupação, terra, desapropriação e resistência” realizada no salão de entrada da FDRPE. STILL (registro fotográfico e documental de produção audiovisual) no videoclipe Útero: Direção de Olivia Godoy. Fotografia “Útero” selecionado para o INTERCOM – NE 2019, Direção de Fotografia do curta Passivo – Direção de João Pedro Ferreira; Assistente de Direção de Fotografia do curta O preço – Direção de Renan Andrade; Ensaio Fotoetnográfico “Ocupar, resistir e produzir” selecionado para o CIRKULA 2019 com exposição na Biblioteca central da UFPE.

Serviço
Exposição Concreto Corpóreo
Quando: 14 de janeiro (terça-feira), às 19h
Onde: Museu Murillo La Greca (R. Leonardo Bezerra Cavalcante, 366 – Parnamirim, Recife – PE)
Acesso gratuito

< voltar para home