Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Lei Aldir Blanc

Para marcar o Dia Internacional da Dança, Elis Costa lança a performance “Plantando o Voo”

Alexandre Salomão/Divulgação

Alexandre Salomão/Divulgação

Após a exibição da performance, Elis Costa vai comandar um bate-papo no Zoom sobre o processo de criação do trabalho

O vazio dos palcos, o silêncio e a necessária ausência de público em tempos de morte-vida orquestrados por um desgoverno, quando o isolamento social ainda é a principal arma da população em combate à COVID-19, são realidades que têm movido o setor cultural na criação de alternativas de sobrevivência para fazer-se viva a conexão entre obra artística e plateia, agora virtual. É a partir do pisar em campos desabitados, sentindo-se entre profundas lacunas e ainda sem direção, que o corpo é tomado por uma ânsia enorme de transformação. Imersa nessas sensações singulares e também coletivas impostas pela pandemia, Elis Costa, artista da Dança, do Teatro e do Audiovisual com 28 anos de trajetória nas artes, também pesquisadora dos Direitos Humanos, iniciou um estudo em formato de performance sobre a capacidade humana de transfigurar, transcender e cocriar novas possibilidades de mundos.

O desdobramento dessa inquietação interna da artista resultou na videodança “Plantando o Voo”, que tem idealização, direção, dança e produção da própria Elis Costa, e os saberes de Liana Gesteira, Alexandre Salomão, Yanna Luz, Flepa, Thiago Liberdade, Zé Diniz, Ailce Moreira e Jairzinho. A videodança será lançada no Dia Internacional da Dança, próximo 29 de abril (quinta-feira), às 19h, no canal do Youtube da artista (o link será disponibilizado na bio do Instagram @eliscosta). Logo após a exibição, às 19h30, haverá uma live pelo Zoom com a equipe de criação, com ingressos gratuitos pelo Sympla, para troca de experiências com o público sobre os processos que permearam o desenvolvimento da obra. O projeto tem incentivo da Lei Aldir Blanc através do edital de criação, fruição e difusão da LAB PE.

Elis Costa foi desenhando a dramaturgia dos movimentos do corpo que antecedem o voo a partir da sua participação na performance de longa duração chamada “COVID-A: um segundo de dança por cada vida interrompida”, a qual reuniu 30 artistas de cinco estados brasileiros nos primeiros meses da pandemia, em agosto de 2020, com transmissão via streaming. Nessa ação coletiva idealizada por Valéria Vicente, a artista desenvolveu e apresentou o experimento inédito “Estudando o voo”, atravessada por todos os sentimentos que eclodiram ao longo do isolamento social.

Aprofundando essa pesquisa iniciada no ano passado e investigando outras metodologias de composição, Elis Costa reuniu uma equipe de profissionais da Dança e do Cinema para desenvolver uma performance pensada exclusivamente para a tela, onde todos os elementos do audiovisual se movem junto com a artista, seja o enquadramento, a iluminação, a fotografia, o desenho sonoro, a profundidade de campo, a câmera, a edição, o figurino, a montagem, tudo está em contínuo movimento. A videodança “Plantando o Voo” marca uma significativa transformação na trajetória artística de Elis, sendo o seu primeiro trabalho criativo autoral. Como a própria artista descreve, a obra nasce de uma proposta historiográfica de si em tempos de catástrofe e de reinvenção da esperança afetiva e corporificada. De forma simultânea e internalizada nos moveres, quatro posturas, ou quatro forças, permeiam a videodança: sentir a queda, mover o que impede de arremeter, construir ou reconhecer habilidades para sustentar-se e permanecer em deslocamento.

“Havia uma ideia de elaboração do luto, que é humano e necessário para a continuidade da vida. Para mim era muito forte a coisa do voo, as emoções, as metáforas que nós como humanos atribuímos ao ato de voar, como uma realização do supostamente impossível. Quando falo em realização penso na capacidade de continuar viva, de não morrer vítima desse genocídio. Penso nas florestas, nas águas, nos territórios. A partir do meu olhar para tudo isso que estamos vivendo, eu comecei a investigar os meus movimentos, a mergulhar para dentro de mim mesma. Eu sabia que precisava sentir o processo, tirar da minha frente aquilo que me impedia de realizar. Foi aí que cheguei em quatro posturas que me capturavam naquele momento: sentir a queda, mover o que impede de arremeter, construir ou reconhecer habilidades para sustentar-se, e finalmente, permanecer em deslocamento. Então eu entendo o voo como a capacidade da gente de transcender, de transformar. Porque tudo o que voa passa por várias fases anteriores; mesmo que já nasça com asas tem um processo a ser feito. E quando eu falo de voo, eu não relaciono a nenhuma espécie animal, é uma mistura de humano com esse fenômeno todo, com esse poder de transmutação. Para mim o voo é um delírio, um mergulho nessa imaginação como um caminho, uma ponte de criação de mundos e de outras possibilidades”, explica a artista Elis Costa.

A artista complementa que a videodança “Plantando o Voo” terá outros desdobramentos – uma parte deles já poderá ser assistida, em exibição única, também no dia 29 de abril (quinta-feira), durante a live do Zoom, às 19h30, com ingressos gratuitos distribuídos pelo Sympla.

Sobre Elis Costa – É artista da Dança, do Teatro, do Audiovisual, historiadora, pesquisadora, arte-educadora e produtora cultural. Licenciada em História (UPE) e em Artes Cênicas (UFPE), especialista em Dança pela Faculdade Angel Vianna e mestra em Direitos Humanos (UFPE). Como intérprete-criadora viveu grande parte de sua carreira dentro de companhias de dança da cidade do Recife, tendo participado de vários espetáculos, coreografias, performances, filmes, intervenções, vídeos, audiodanças e videodanças. Dançou e ministrou oficinas e cursos por Pernambuco e demais estados do território nacional, além de países como Portugal, Chile, Paraguai, Uruguai e Argentina. Desde 2012 integra a equipe do coletivo Acervo RecorDança, onde atua como pesquisadora, desenvolvendo projetos de salvaguarda da memória da dança no estado, como exposições, ações pedagógicas e educativas, publicações, documentários, grupos de estudos e podcasts. Desenvolveu o projeto “O mais que humano em nós”, nascido e executado em tempo de isolamento social pelas mídias sociais, onde transversaliza temas da dança e dos direitos humanos em uma série de lives com convidades. É produtora cultural e como tal tem atuado em instituições, mostras, festivais, projetos e eventos. Com 28 anos de percurso nas artes, somente em 2020 inicia a um trabalho criativo autoral, durante a pandemia do COVID-19 no Brasil.

Serviço
Lançamento da videodança “Plantando o Voo” da artista Elis Costa
Data: 29 de abril (quinta-feira), Dia Internacional da Dança
Horário: 19h
Exibição via plataforma digital: www.youtube.com/channel/UCNzVpspgracY_HRE6bFItJg (o link será disponibilizado na bio do Instagram @eliscosta)
Acesso: gratuito
Duração: 7 minutos
Classificação indicativa: livre

Conversa com a equipe de criação da videodança “Plantando o Voo” + exibição única de parte de seus desdobramentos
Data: 29 de abril (quinta-feira), Dia Internacional da Dança
Horário: 19h30
Exibição via plataforma digital: Zoom
Acesso: ingressos gratuitos pelo Sympla (link para ingresso na bio do Instagram @eliscosta)
Duração: 1 hora
Classificação indicativa: livre
*Transmissão com acessibilidade em libras*

< voltar para home