Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Cantoria Pé de Parede inicia temporada de apresentações na Casa da Cultura

Com incentivo do Funcultura, o projeto reunirá cantadores de várias partes do Nordeste na Casa da Cultura, a partir desta quinta-feira (14). As apresentações são gratuitas

Marcelo Lyra/Secult-PE/Fundarpe

Marcelo Lyra/Secult-PE/Fundarpe

Estão previstas oito apresentações do projeto Cantoria Pé de Parede na Casa da Cultura, nos próximos sete meses

No início do século 20, cantadores de viola repentistas como Cego Aderaldo e Cego Sinfrônio viviam pelo sertão nordestino cantando em desafio ao som de rabecas e violas. Apesar da deficiência visual, o que mais impressionava neles era a velocidade de raciocínio e a sagacidade na hora de versar. É difícil precisar o início da prática da cantoria nordestina. A arte do improviso de repente veio para o Brasil no início do século 19. Trazida por trovadores portugueses, espanhóis e franceses, incorporou o jeitinho nordestino, tornando-se certamente um dos principais patrimônios do Nordeste. E sempre no universo das cantorias se destacaram cantadores com deficiência.

É nesse cenário e atmosfera que o projeto Cantoria Pé de Parede vai apresentar, nos próximos sete meses, oito shows de cantadores de viola com deficiências visual ou motora, na Casa da Cultura. A iniciativa, que conta com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura, será uma oportunidade do público conhecer mais de perto a criação poética mais “livre” e mais “espontânea” desses cantadores, que ganham a vida com versos e cantoria.

A primeira delas acontecerá na próxima quinta-feira (14), às 16h, e contará com a participação do poeta Carlos Alberto, residente em São José do Seridó/RN, e do poeta Erivaldo Ferreira, residente em São José do Egito/PE. A apresentação, com entrada franca, será totalmente improvisada, com a dupla de cantadores, ambos cegos, interagindo com o público. Os poetas vão cantar em versos temas atuais como assuntos políticos, econômicos e sociais do Brasil, do mundo e aspectos da vida do homem nordestino.

As duplas de poetas repentistas foram escolhidas com a curadoria do poeta Antônio Lisboa, proponente e responsável pela realização do projeto. Para o idealizador, as cantorias vão evidenciar o talento e versatilidade dos “artistas populares que têm o dom da poesia mantendo viva a cultura declamada sobre a forma de repente, que traz em si o discurso da cultura nordestina, evidenciando as raízes culturais do povo que lhes escuta”.

Sobre os poetas
Carlos Alberto nasceu na cidade de Caicó/RN. Hoje ele mora em São José do Seridó no RN. Foi agricultor e trabalhador na construção civil. Como o dom, a pessoa “… já nasce com ele!”, Carlos Alberto teve a sua inspiração para se tornar um poeta ouvindo desde criança o programa “Violeiros do Seridó” na Rádio Rural de Caicó RN. Quando ele estava iniciando a profissão de Repentista, em 1979, se tornou cego aos 23 anos. Como poeta profissional participa de Festivais e faz cantorias toda semana na Região do Seridó no RN. Fez programas de cantorias na Rádio Rural de Caicó RN, na Rádio Cenecista Picuí PB e hoje mantém o programa diário “Bonito ao Som da Viola” na Rádio Bonita FM em São José do Seridó. Gravou quatro CDs e tem participação em mais de doze DVDs se apresentando em Festivais. É sócio e membro da Academia de Trovas do RN. Produz e realiza anualmente o Festival “Noite dos Campeões do Repente” em São José do Seridó que em 2018 terá 19ª edição.

Erivaldo Ferreira nasceu no Sítio Saquinho na cidade de Imaculada PB. A sua deficiência visual vem de nascença. Ainda menino, Erivaldo Ferreira, assistia as cantorias de viola que seu avô, Pedro Mororó organizava. Seu encontro com a poesia deu-se muito cedo e ainda com 13 anos realizou a sua primeira cantoria acompanhado do repentista Toinho de Tito Alves. Há exatamente 12 anos vive profissionalmente como poeta repentista. Sua deficiência visual não o impede de participar semanalmente de Festivais e/ou de cantorias. Tem atualmente um programa duas vezes por semana na Rádio Gazeta FM de São José do Egito onde reside. Gravou o seu primeiro CD – “Um Poeta Sonhador” – com canções e com o poeta Antônio José, gravou o CD “Arte, Sonho e Poesia”. Um dos destaques da sua carreira foi a comemoração de 8 anos como poeta profissional realizando um Festival de Repentistas em Brejinho PE.

Serviço
“Cantoria Pé de Parede na Casa da Cultura’’
Com os poetas Carlos Alberto (RN) e Erivaldo Ferreira (PE)
Quando: quinta-feira (14), às 16h
Onde: Casa da Cultura (Rua Floriano Peixoto, s/n, São José, Recife – PE)
Acesso gratuito

< voltar para home