Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Notícias cultura.pe

Todas as expressões da nossa cultura cabem no 24º Festival de Inverno de Garanhuns

Evento vai celebrar a diversidade cultural brasileira e homenagear Ivo Amaral, o criador do FIG

Vai começar mais uma edição do maior festival de arte e cultura de Pernambuco. De 17 a 26 de julho, a música, o cinema, as artes cênicas, a cultura popular e todas as outras formas de expressão artística brasileira vão se encontrar na 24ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns.
Divulgação

Tradicional destino turístico-cultural deste mês de julho, a cidade a 230 km do Recife vai acolher, com seu charme e as baixas temperaturas do período, cerca de 500 mil pessoas durante os 10 dias de programação.

Dos grandes shows aos cortejos de cultura popular; do espetáculo no teatro ao recital de poesias na feira livre, toda a riqueza e a diversidade da nossa cultura estão contempladas na programação. Um vasto leque de ações de difusão e também de formação cultural que ajuda a consolidar o FIG não apenas como um grande evento cultural, mas também como um momento de culminância das diversas políticas públicas atualmente desenvolvidas pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura e Fundarpe, instituições que realizam o festival, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns. A Companhia Editora de Pernambuco (CEPE) e o Serviço Social do Comércio (SESC-PE) também são parceiros institucionais.

Grupos e artistas consagrados, estreantes, patrimônios vivos e destaques da cena contemporânea vão atrair o público para os 17 polos de animação do festival. Incluindo a Praça Mestre Dominguinhos (antiga Esplanada Guadalajara), que continuará servindo de palco para atrações musicais que o Brasil inteiro admira, como Vanessa da Mata, Luiz Caldas, Zé Ramalho, Fábio Junior, Alceu Valença, Ângela Maria, Otto, Marcelo Jeneci, Céu, José Augusto, as bandas Titãs e Nação Zumbi. A cantora portuguesa Carminho é atração internacional do palco. Na sexta-feira (18/7), Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Mariana Aydar, Waldonys e Liv Moraes cantam para Dominguinhos. Uma grande homenagem ao mestre de quem, há quase um ano, o país sente saudade.

Em mais uma edição, Garanhuns será tomada por uma igualmente rica programação diurna. São espetáculos de circo, mostras literárias, de cinema e fotografia, apresentações de cultura popular, exposições de artesanato, artes visuais, design e moda, além de oficinas e debates culturais. Tudo gratuito. Tudo construído a partir de uma Convocatória Pública para a qual artistas de todo o país tiveram o oportunidade de enviar propostas.

Para Marcelo Canuto, secretário estadual de Cultura, “o FIG 2014 reafirma a pluralidade da cultura pernambucana e nacional ao reunir, em dez dias, um conjunto expressivo de artistas e grupos que sintetizam as mais variadas cenas culturais, das consolidadas às alternativas, da tradição à novidade”. Marcas indeléveis do festival, o encontro e o diálogo entre todas as expressões e linguagens artísticas vão dar o tom de mais uma edição.

CONFIRA AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

 

HOMENAGEADO

No seu 24º ano de existência, o Festival de Inverno de Garanhuns homenageia o seu criador, Ivo Tinô do Amaral. Nascido em Lajedo, mas não menos garanhuense, o ex-deputado e ex-prefeito de Garanhuns, por dois mandatos, completou 80 anos em 2014. Além da criação do FIG, outra marca do ex-gestor é o Relógio de Flores, cartão-postal mais emblemático da cidade.

Ivo conta que a ideia de criar o FIG surgiu ainda na sua primeira administração, no ano de 1981. Quem a trouxe foi o amigo e jornalista Marcílio Reinaux, que havia participado do Festival de Inverno de Campos do Jordão, em São Paulo, e voltara bem impressionado de lá, pensando que Garanhuns reunia todas as características para também abrigar um Festival de Inverno.

O primeiro FIG aconteceu de 13 a 28 de julho de 1991 e contou, desde o seu início, a Fundarpe foi co-realizadora. À época, a instituição era presidida por Rubinho Valença. As grandes atrações da primeira edição do festival foram Zé Ramalho, Alceu Valença e Dominguinhos.

PATRIMÔNIOS VIVOS NA PROGRAMAÇÃO

Presenças mais que ilustres, alguns Patrimônios Vivos de Pernambuco vão enriquecer a programação do FIG 2014. Mestre Galo Preto, Dona Selma do Coco, Lia de Itamaracá, Caboclinho 7 Flexas do Recife, Clube Indígena Canindé, O Homem da Meia-Noite, além dos maracatus Leão Coroado e Estrela Brilhante de Igarassu são atrações confirmadas do Palco de Cultura Popular.

De acordo com Severino Pessoa, presidente da Fundarpe, “a participação dos patrimônios vivos na programação vai encher os olhos do público, especialmente dos visitantes, que poderão conhecer e mergulhar na raiz da nossa cultura, aprender com os mestres a brincar, a viver as tradições”.

A exposição fotográfica Patrimônios Vivos de Pernambuco também é destaque e será mais um atrativo do Pavilhão do Artesanato, no Parque Euclides Dourado. A visitação poderá ser feita a partir do sábado, 19/7, das 14h às 22h.

ARTES CÊNICAS NOS PALCOS E NA RUA

De relevância reconhecida nacionalmente, a mostra de Artes Cênicas do FIG 2014 honra seu histórico. Para André Brasileiro, diretor de Políticas Culturais da Secult-PE, “a qualidade artística da programação cênica e de outras linguagens – para além da música –  tem ajudado na divulgação do festival entre grupos culturais de todo o país. Além disso, contribuído de uma maneira muito especial para a circulação dos artistas pernambucanos”.

A partir do sábado, 19/7, espetáculos para todas as idades vão acontecer no Teatro Luiz Souto Dourado, no Pavilhão da Dança (Parque Euclides Dourado), na Lona de Circo (próxima à Rodoviária), na Casa Galeria Galpão e também em algumas ruas de grande circulação.

Entre as atrações confirmadas de Teatro Adulto, destaque para as montagens: O Livro (Du Moscovis/RJ); A Dona da História (Duas Companhias/PE); O Natal de Harry (Marat Descartes/SP); e Lesados (Grupo Bagaceira de Teatro/CE). Na programação infanto-juvenil, destaque para o espetáculo Bichos do Brasil (Pia Fraus/SP).

A alegria do circo vai se espalhar novamente por Garanhuns com espetáculos tradicionais e contemporâneos, no picadeiro e na rua. Entre eles, o Circo dos Irmãos Brothers (RJ); O Reencontro de Palhaços na Rua é a Alegria do Sol com a Rua (Companhia Teatral Turma do Biribinha/AL); Família Vidal – 5ª Geração (Circo Itinerante Disney/PE); e Brincando no Picadeiro (Caravana Tapioca/PE).

Espetáculos no Pavilhão da Dança prometem levar grande público ao Parque Euclides Dourado. Entre as atrações, destaque para Disse me Dança (Em Cena Arte e Cidadania/PE); Guia Improvável Para Corpos Mutantes (Porto Alegre/RS); Os Sete Buracos (Compassos Cia. de Dança) e O Tempo Perguntou ao Tempo (Grupo Acaso), ambas do Recife.

A Casa Galeria Galpão também estará aberta para apresentações cênicas especiais, como o espetáculo Terra, solo da bailarina Maria Paula Costa Rêgo, do Grupo Grial de Dança (PE).

PALCO DE TODOS OS RITMOS

A programação do FIG 2014 buscou contemplar as diversas cenas e sonoridades da música brasileira, mola mestra do festival. Além do Palco Mestre Dominguinhos, que vai receber os maiores shows, outros cinco polos musicais do FIG estão mantidos: o Palco Pop, o Palco Forró, Cultura Popular, Instrumental e o de Música Erudita na Catedral.

Palco Pop
Promover diálogos sonoros e dar visibilidade ao maior número possível de cenas musicais é a proposta do Palco Pop. Em mais uma edição, o polo no Parque Euclides Dourado vai animar os começos das noites de festival com uma programação diversa. O público já pode se preparar para apresentações memoráveis de artistas e grupos como Tribo de Jah, Trummer SSA, Aninha Martins, Filipe Catto, Tibério Azul, O Terno, N´Zambi, Café Preto, Trio Eterno, Ylana Queiroga, Bongar, e Coletivo Rádio Orquestra.

A programação do palco será fechada no sábado, 26/7, por ninguém menos que a cantora Maria Alcina. Um verdadeiro patrimônio da música brasileira que volta a Pernambuco para comemorar 40 anos de carreira com o show “De Normal Bastam Os Outros”, o mais recente – e aclamado pela crítica – trabalho da intérprete.

Palco Forró
O arrasta-pé mais charmoso de Pernambuco começa suas atividades no sábado, 19/7, com nomes que ganham o mundo cantando as nossas histórias, mantendo vivo o forró do Nordeste. Entre eles, Petrúcio Amorim, Beto Hortis, Bia Marinho, Cristina Amaral, Valdir Santos e Jaiminho do Exu.

Instrumental
Quem conhece o festival, não abre mão de dar uma passada no começo da noite no Parque Ruber Van Der Linden, o Pau Pombo, porque sabe que é lugar de música boa pra alma. Nesta edição, o Palco Instrumental vai receber, entre as atrações, Naná Vasconcelos e Lui Coimbra, o grupo argentino Escaladrum, os cariocas Zé da Velha e Silvério Pontes, além de Renato Bandeira e o Som da Madeira.

Música Erudita na Catedral
Uma verdadeira celebração musical é o que o público pode esperar da tradicional programação na Igreja de Santo Antônio. Artistas de imenso valor para a música brasileira, como Ná Ozetti e Leo Gandelman, além dos grupos SaGrama e Alegretto estão na programação do Conservatório Pernambucano de Música.

Fiel, o público também vai conferir a décima edição do Virtuosi na Serra entre os dias 22 e 25 de julho, com instrumentistas de reconhecimento internacional. Entre as atrações, destaque para os pianistas Estibaliz Gastesi e Márcio Bezerra (Duo Gastesi-Bezerra), Tamila Salimdjanova (natural do Uzbequistão e grande vencedora do III Concurso Internacional BNDES de Piano 2012), o Maestro Arthur Moreira Lima e a Orquestra Jovem de Pernambuco.

PONTOS DE CULTURA

Já consagrado espaço aglutinador dos Pontos de Cultura de Pernambuco durante o FIG, o Casarão dos Pontos marca presença em mais uma edição do festival. A programação do polo é fruto de convocatória direcionada às organizações e contempla a oferta de atividades de formação cultural, como oficinas de maracatu e capoeira, além de cortejos e apresentações de cultura popular. A novidade desta edição é que o Palco Ponto das Artes será instalado no Parque Euclides Dourado, garantindo ainda mais visibilidade para as atrações.

LITERATURA
Lançamentos de obras literárias, recitais poéticos, performances e contação de histórias são algumas atividades programadas para ocupar a Praça da Palavra, polo de literatura do FIG. Mas de tão vasta, a programação não cabe na praça Souto Filho. Vai ganhar as ruas da cidade e chegar também aos bairros mais afastados do centro de Garanhuns, através de projetos já aprovados pelo público, como o A Gente da Palavra, e também experiências inovadoras como o Pé de Letras, que consiste na circulação pela cidade de uma bicicleta repleta de livros artesanais, com o poeta André Arribas.

Intervenções poéticas em vários pontos da cidade (Bunking Poético) e o recital Silêncio Interrompido – A Poesia contemporânea da Zona da Mata Norte também são destaques da programação.

CINEMA
A 10ª Mostra de Cinema do FIG será realizada no período de 18 a 25 de julho no Cine Eldorado, com entrada gratuita. Serão exibidos longas-metragens pernambucanos, seguidos de debate com os realizadores, sempre às 21h. Entre eles, Tatuagem, de Hilton Lacerda, no sábado (19); e Amor, plástico e barulho, primeiro longa de ficção da diretora Renata Pinheiro, no domingo (20).

A mostra Cinema na Estrada vai levar filmes para locais que ainda não possuem salas de cinema, como os municípios de Bom Conselho, Capoeiras e na comunidade quilombola de Timbó, em Garanhuns.

Também merece destaque a mostra Sonhos Possíveis: Cinema, Audiodescrição e Impressão 3D, voltada para cegos e portadores de Síndrome de Down. Os filmes desta mostra terão seus principais personagens impressos em 3D, o que permitirá que pessoas com deficiências tenham a experiência de tocá-los e criá-los na sua imaginação de uma maneira mais próxima do real.

Na quinta-feira, 24/7, haverá uma exibição especial do documentário Dominguinhos, de Joaquim Castro, Mariana Aydar e Eduardo Nazarian. Mais uma homenagem do festival.

FORMAÇÃO CULTURAL
Importante diferencial do Festival de Inverno de Garanhuns, a grade de Formação Cultural foi, em mais uma edição, elaborada para aprimorar técnicas e ampliar o debate sobre as mais diversas linguagens culturais, do coco ao cinema. Serão mais de 40 atividades gratuitas, entre oficinas, workshops e rodas de diálogo.

Destaque para o Curso de Direção para Documentários, com o cineasta Marcelo Pedroso e realizada em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco, além das oficinas de Dança de Rua; Jogos para Cenas Cômicas; Coco; e o diálogo sobre MICSUL – Uma experiência criativa no mercado da música.

POVOS TRADICIONAIS
A comunidade quilombola do Castainho segue como polo oficial de formação e difusão cultural do festival. Além de oficinas relacionadas às manifestações tradicionais da cultura quilombola, o FIG 2014 vai chegar à comunidade com atrações de teatro, circo e dança. Entre as atrações, a peça teatral Malucas Histórias de Malucos Loucos, da Cia Ruandeiros, de São Paulo.

GALERIA PARA AS ARTES
O polo da Fotografia, do Design e da Moda, das Artes Visuais é a Casa Galeria Galpão. Além de abrigar exposições, o local se transformou em ponto de encontro e espaço propício ao debate sobre o fortalecimento das cadeias produtivas destas linguagens.

Os visitantes vão encontrar mostras e intervenções artísticas, entre elas a Lambe-Lambe: Ladrilho Hidráulico, de Guilherme Luigi; exposições fotográficas do Prêmio de Fotografia Pernambuco Nação Cultural, Memórias da Pedra (Iezu Kaeru) e Instantâneas da África (Diego Di Niglio); Planos, Entrelaçamentos e Memória, de Janaina Castoldi; e a intervenção Complete o que te compete (Johny Alves).

CULTURA POPULAR E ARTESANATO
As manifestações de cultura popular vão ocupar diversos espaços do FIG. No Euclides Dourado, o Espaço Mamulengo e o Pavilhão do Artesanato estarão funcionando a partir do sábado, 19/7. Vinte artesãos de Pernambuco, e também de fora do estado, estarão comercializando suas produções no local.

No Palco de Cultura Popular, a preocupação foi contemplar todos os territórios (RMR, Mata, Agreste e Sertão) e as expressões mais tradicionais dos ciclos festivos: Carnaval, Natal e São João. Além de diversos patrimônios vivos de Pernambuco, o Maracatu Cambindinha de Araçoiaba, o mais antigo do estado, também está na programação do Palco.

PRATAS DA CASA
Bandas, grupos cênicos e outros artistas de Garanhuns e região também estão na programação do FIG 2014. Eles participaram de uma Convocatória específica, foram selecionados e terão a oportunidade se apresentar “em casa”, fortalecendo a cultura local. No palco Mestre Dominguinhos, se apresentam: Os Valvulados e Gabi da Pele Preta, Rogério e os Cabra, Banda Flash, Still Living, Banda Lux Time, Alexandre Revoredo, Kiara Ribeiro e Neander.

SOM NA RURAL
Um projeto já bastante conhecido no Recife vai levar a Garanhuns sua proposta de divulgar a cultura do estado e, ao mesmo tempo, promover diálogos sobre a utilização de espaços públicos, como praças e ruas das cidades. Na direção de uma Rural Willys, o apresentador e comunicador Roger de Renor vai entrevistar artistas convidados, provocar encontros musicais e, em algumas noites, estacionar sua rural e promover festas com DJs no Parque Euclides Dourado. De forma inovadora e lúdica, o projeto vai contribuir para a geração de conteúdo para canais de web, televisões parceiras, entre outros veículos de comunicação, estabelecendo um elo entre quem estará presente no festival, e quem vai ficar em casa, apenas assistindo.

CAFÉ EM PASÁRGADA
Com o objetivo de divulgar a obra do poeta Manuel Bandeira, valorizar a poesia pernambucana e difundir as atividades do Espaço Pasárgada (Recife), o FIG 2014 vai promover, pela primeira vez em Garanhuns, o Café em Pasárgada. Apropriando-se do nome de um projeto já exitoso que acontece na Casa de Manuel Bandeira, a ação vai ocupar um Café-Livraria de Garanhuns. Recitais poéticos com microfone aberto, mostras de filmes sobre o poeta, exposição de fotos são algumas das atrações. Durante a programação, o público também poderá contribuir com a Biblioteca do equipamento cultural localizado no Recife, através da doação de livros.

 

< voltar para home