Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Notícias cultura.pe

Praça da Palavra dobra de público no FIG 2015

Ações de literatura atraem pela variedade de formatos e temas contemporâneos

Por: Raquel Holanda

Circularam pela Praça da Palavra 13.500 pessoas ao longo dos oito dias de ações literárias no Festival de Inverno de Garanhuns deste ano. Atraídas pelas 36 atividades diversas que aconteceram no decorrer do festival, a Praça marca uma trajetória de sucesso desde sua criação em 2012.

Normando Siqueira/Secult-PE

Normando Siqueira/Secult-PE

Público participou de debates, recitais, contação de histórias e outras ações literárias

Este é o quarto ano da Praça da Palavra e o aumento de 50% do público em relação ao ano passado só demonstra que consolidamos tanto com a programação infantil – com contação de histórias e atividades para crianças –  e aos poucos a Praça foi se firmando também como esse espaço de discussão para adultos”, comentou o coordenador de literatura da Secretaria de Cultura de Pernambuco, Wellington de Melo.

Um dos segredos para o sucesso do espaço literário do FIG, segundo Wellington de Melo foi a melhoria da estrutura da Praça da Palavra e a construção de uma programação antenada com temas contemporâneos da literatura. “Quisemos trazer discussões inquietantes, como a autobiografia. Acredito que nunca devemos subestimar o público, devemos trabalhar com a perspectiva de público amplo. A Praça da Palavra tem essa característica de trabalhar com espectros de público que vai desde aquele que procura a programação infantil ou discussões sobre literatura contemporânea ou ainda uma poesia mais cerebral que tem um grau de complexidade maior, enfim, trabalhar nesses múltiplos diapasões”, disse o coordenador de literatura da Secult-PE. Dentre os destaques da programação, Wellington de Melo acredita que a participação de coletivo de jovens poetas foi o que mais se ressaltou. “Recebemos três grupos (referindo-se as performances Poesia ao Vivo, Intra-barulho e Sarau Dama da Noite) que trazem propostas que acontecem nos seus espaços de origem e que reverberam aqui no festival”, finalizou.

Somente nas 36 atividades que aconteceram na Praça da Palavra, 72 artistas, entre escritores e poetas, se apresentaram para um público de aproximadamente 2.200 espectadores. “O espaço está mais aconchegante, mais convidativo mesmo. Um espaço de micro-encontros. Porque é um festival de multidões, mas é possível o encontro com o outro. O encontro com o escritor. O encontro de leitores. Pais com seus filhos, desfrutando o prazer da leitura. É quando o macro e o micro chegam a seu equilíbrio”, enfatizou Wellington de Melo. Além das ações que aconteciam na Praça da Palavra, a coordenação de literatura da Secult-PE também deu continuidade ao projeto ‘A Gente da Palavra’, que nesta edição do FIG circulou pelos bairros de Boa Vista, Magano e Mané Xéu. “Cada momento do projeto é meio que um tesouro que cada poeta vai descobrindo. Porque sabemos que o festival não chega na casa dessas pessoas. Ações como esta levam o festival para lugares, que a princípio não estariam”, explicou o coordenador da pasta.

Outro destaque para as ações literárias do FIG 2015 também está a participação mais efetiva de escritores de Garanhuns e das cidades do entorno. “Você vê que eles adotaram a Praça como um espaço deles, as pessoas vêm não só uma vez, passam a circular frequentemente aqui. Virou um espaço de convivência mesmo dentro do FIG”, finalizou Wellington de Melo. A confirmação da consolidação da Praça da Palavra como um espaço de convivência não só de escritores, como também do público amante da leitura, é o volume de negócios gerado pelo espaço. Os três estandes presentes na Praça – Editora Cepe, Escritores de Garanhuns e Livraria Armorial – faturaram durante o festival 18 mil reais em vendas de livros.

< voltar para home