Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Casa Galeria Galpão começa a funcionar no FIG

Galeria reúne várias linguagens artísticas até o último dia do festival

Por: Ana Beatriz Caldas

Inaugurada neste domingo (19), a Casa Galeria Galpão é um dos destaques da programação deste ano. Antes mesmo de as portas serem abertas, dezenas de pessoas esperavam, ansiosas, para prestigiar o trabalho de artistas de várias partes do país. Além das exposições fotográficas, instalações e mostras de design e moda, a galeria conta com o Neblina Café, espaço destinado à gastronomia que também funcionará diariamente. Curiosos, os visitantes também puderam presenciar algumas performances de artistas pernambucanos ao longo da noite, como “Não estou aqui”, intervenção feita pelo garanhuense Clovis Teodorico, e a de Izidorio Cavalcanti, já conhecido pelas performances ligadas à movimento e impacto na cidade do Recife.

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Público fez fila para conhecer a edição 2015 da Casa Galeria Galpão

O espaço também busca inspirar novos artistas e fazer com que o público reflita sobre o que é e como é feita a arte contemporânea. A partir desse pensamento, a sala principal da galeria serviu como palco para o debate “Nada de novo – Um diálogo ex-positivo, que contou com a presença dos artistas plásticos Beth da Matta, Marcelo Silveira, Márcio Almeida e Paulo Meira e levou expositores e visitantes a uma viagem pela trajetória e obra de artistas consagrados, como Louise Bourgeois, Andy Warhol, Jessica Stockholder e Marcel Duchamp.

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Exposições fotográficas e intervenções ocupam salas do antigo Fórum da cidade

De acordo com Marcelo Silveira, que também fez parte da comissão que selecionou os projetos para a Casa Galeria Galpão, a intenção do bate-papo é orientar interessados pela arte e pessoas que já trabalham com arte, mas não tem formação, através de uma provocação sobre o que tem sido feito no cenário artístico, e como tem sido feito. “A ideia era proporcionar uma conversa de teor informativo, tanto para artistas selecionados, como para não selecionados e possíveis produtores de arte. Não temos interesse em ditar caminhos, mas em mostrar que são muitas as perspectivas”, explicou Marcelo.

Além de exibir grandes obras e deixar abertos livros famosos dos pintores mencionados na palestra para que o público procurasse conhecer mais sobre as artes visuais, os artistas também indicaram aos presentes modos para se iniciar um projeto, sanaram dúvidas e discutiram as formas diversas em que a arte vem se manifestando, de maneira híbrida e referenciada por inúmeras outras linguagens artísticas. Com mais performances e discussões programadas para essa semana, a galeria funciona até o dia 25 de julho, no antigo fórum da cidade, próximo ao Palco Mestre Dominguinhos, das 16h às 21h.

< voltar para home