Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

6º Festival VerOuvindo começa nesta quarta-feira (10)

Manuela Salazar/Divulgação

Manuela Salazar/Divulgação

Festival visa promover o acesso de pessoas com deficiência sensorial às salas de cinema, além de realizar a acessibilidade de filmes pernambucanos e nacionais e exibi-los em sua programação

O 6º VerOuvindo – Festival de Filmes com Acessibilidade Comunicacional do Recife dará início, nesta quarta-feira (10), à sua 6ª edição. Desta vez, o projeto acontecerá em formato híbrido, com sessões presenciais e online até dia 15 de novembro. Além das sessões presenciais no Recife, Nazaré da Mata e Vitória de Santo Antão, as pessoas poderão acompanhar de casa as sessões no canal de Youtube e no site do festival. Desde a primeira edição, o projeto conta com incentivo do Governo do Estado de Pernambuo, por meio dos recursos do Funcultura. Nesta edição, o formato on-line tem o patrocínio do Sistema de Incentivo à Cultura da Prefeitura do Recife. Assim, o Festival VerOuvindo de Filmes com Acessibilidade Comunicacional do Recife vem se consolidando ao longo de suas edições como um dos principais do país com sessões voltadas para pessoas com deficiência sensorial.

Serão mais de 40 horas de programação de cinema e formação sobre acessibilidade comunicacional para pessoas com deficiência auditiva ou visual, com estreia de filmes, acessibilidade de clássicos e de filmes pernambucanos, formação em acessibilidade para o audiovisual e ações externas, gratuitas e abertas para todo o público. No Recife, as ações acontecerão no Cinema da Fundação – Derby, no Teatro do Parque e no Marco Zero.O festival focará no papel dos tradutores intérpretes da Língua Brasileira de Sinais – Libras, celebrando o intenso trabalho de acessibilidade na produção audiovisual durante a pandemia. A Mostra Competitiva de Libras será a primeira premiação no país voltada para esses profissionais entre festivais, e se junta à tradicional Mostra de Curtas com Audiodescrição (AD), também pioneira no Brasil. As competições ocorrerão em 11 e 12 de novembro, no Cinema da Fundação – Derby, e estarão abertas no site durante todo o festival para votação.

Um dos pontos altos da edição será o lançamento em Pernambuco do filme “Limiar” (2020), da realizadora paulista Coraci Ruiz, no domingo, dia 14 de novembro, às 17h15, no Cinema da Fundação – Derby. O filme é um experimento biográfico em que a realizadora acompanha e registra a transição de gênero do próprio filho adolescente, entre 2016 e 2019, abordando conflitos, certezas e incertezas que perpassam a busca pela identidade. O filme foi premiado em festivais como Mix Brasil, For Rainbow e Queer Lisboa.

A Sessão Memória, dia 13, que dá vez a clássicos pernambucanos, exibirá “O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas” (2000), longa de Marcelo Luna e Paulo Caldas, que completa mais de duas décadas de lançamento, exibido no dia 13 de novembro, 17h35, Cinema da Fundação – Derby. Outro longa exibido com recursos de acessibilidade será o clássico brasileiro “Carlota Joaquina, Princesa do Brasil” (1995), de Carla Camurati, ícone da Retomada do Cinema Brasileiro nos 1990, na Sessão Alumiar, 10h30, no Teatro do Parque (Boa Vista).

Além da exibição dos longas, o VerOuvindo também reforça o compromisso com o cinema pernambucano. Este ano, a curadoria assinada por Amanda Mansur selecionou três curtas que apontam para diferentes paisagens do estado e das vidas impactadas pela pandemia: “Cabocolino” (2021), de João Marcelo Alves; “O Rio – Um Itinerário Poético” (2021), de Adelina Pontual; e “Ethxô Nandudya” (2021), de direção coletiva. Os filmes receberam o Prêmio VerOuvindo de Serviço de Acessibilidades e serão exibidos em Nazaré da Mata e Vitória de Santo Antão, no dia 10 de novembro, e em Recife, no Cinema da Fundação – Derby, dia 15 de novembro, além de estarem disponíveis no canal do YouTube do projeto.

Além deles, mais três filmes pernambucanos entram na programação do festival. Também curada por Mansur, acontece a Mostra de Curtas Pernambucanos, no dia 12 de novembro, 14h, com a exibição de “Inabitável” (2020), de Enock Carvalho e Matheus Farias, “Mini Miss” (2018), de Rachel Daisy Ellis, e “O Menino Que Morava no Som” (2019), de Felipe Soares, acessibilizados a partir do Prêmio VerOuvindo de Serviço de Acessibilidades.

Debate com Kleber Mendonça Filho e Libras para Cinema
Este ano, a II Jornada VerOuvindo, espaço paralelo de formação em acessibilidade comunicacional, trará as masterclasses Por Trás das Câmeras no dia 13: às 10h, com o diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, e, às 11h, com o pesquisador Rodrigo Carreiro. O projeto inédito trará conteúdos técnicos cinematográficos para profissionais da acessibilidade na programação remota, pelo Youtube do festival.

A Jornada também terá masterclasses com os homenageados Bell Machado, sobre audiodescrição, e Jonatas Medeiros, sobre tradução para Libras, além da Oficina de Libras nos dias 12 e 13 de novembro, com o intérprete Carlos Di Oliveira e a intérprete e consultora surda Mirella Cavalcanti, e dois Painéis de Acessibilidade Comunicacional, com apresentações presenciais e online sobre a produção cultural acessível, nos dias 13 e 14 de novembro, no Cinema da Fundação – Derby.

Reunião inédita de festivais de Brasil e Portugal
A Jornada ainda comportará o Conexão Festivais Acessíveis, iniciativa inédita que reunirá online os principais festivais de cinema acessíveis do Brasil e de Portugal. Estarão reunidos dia 15 de novembro representantes dos festivais Assim Vivemos (RJ), o primeiro festival de cinema acessível do país, UrbanoCine (RN), Editando Sonhos (BA), Festival Acessível Kids – (RS) e Festival Acessível do Instituto Politécnico de Bragança (Portugal).

A parceria com Portugal vai além, e poderá ser vista também nas produções exibidas na Mostra de Cinema Acessível, em parceria com o Instituto Politécnico de Bragança e o Festival de Cinema Acessível. Os sete curtas portugueses com audiodescrição poderão ser assistidos durante todo o festival no Youtube do projeto.

Homenagens tripla a profissionais e cineasta in memorian
Nesta edição, o VerOuvindo fará uma homenagem tripla. Uma delas será para Bell Machado, a primeira audiodescritora do Brasil e uma pioneira da audiodescrição do audiovisual. Assim como será homenageado o intérprete de Libras Jonatas Medeiros, que tem feito um importante trabalho de divulgação sobre a tradução para Libras e a inclusão de pessoas surdas nas produções audiovisuais nas redes digitais.

Por fim, a última homenagem será em memória do cineasta Jeorge Pereira, diretor do filme Organismo (2017), sendo uma das primeiras pessoas com deficiência física a dirigir um filme no país, trazendo o debate da acessibilidade também para os bastidores. Jeorge, falecido neste ano, repetiria seu trabalho como curador do festival na sexta edição, como havia feito em 2019, além de ser um participante ativo da programação.

Pedal Duplo e Turismo Acessível para pessoas com deficiência
No domingo, dia 14, o VerOuvindo realizará uma ação de Pedal Duplo Acessível em formato aberto e gratuito para pessoas com deficiência. É a primeira vez que a edição realiza ações com vistas a chamar atenção para acessibilidade no espaço público. Pessoas cegas ou com baixa visão poderão pedalar pelo Recife Antigo com o voluntário guia e o grupo será acompanhado por audiodescritores, que farão a descrição da paisagem do passeio ao vivo. A iniciativa é fruto de parceria com o grupo Pedal Duplo acessível e a Associação de Cegos de Caruaru – Acace.

Como atividades paralelas, estão sendo oferecidos passeios com recursos de acessibilidade para Porto de Galinhas, Olinda e também de Catamarã, no Recife. Os trajetos e viagens ocorrerão com a presença de audiodescritores e intérpretes de Libras, que irão acessibilizar aos participantes tanto a descrição da paisagem como também poderão indicar os sons locais e traduzir o que for explicado por um guia de turismo.

Sobre o Festival VerOuvindo
O VerOuvindo é um festival de filmes com acessibilidade comunicacional, idealizado e coordenado por Liliana Tavares que também faz a produção com Túlio Rodrigues, e que desde 2014, fomenta o debate sobre a produção e a exibição da audiodescrição – AD, da língua brasileira de sinais – Libras e da legenda para surdos e ensurdecidos – LSE nos produtos audiovisuais preocupado com a função técnica e estética.

Sua programação inclui mostra competitiva de curtas nacionais com audiodescrição, exibição de curtas e longas com recursos de acessibilidade, além de atividades formativas como oficinas, palestras e debates sobre acessibilidade comunicacional, entre especialistas, profissionais e público. Outro ponto é a contribuição para experimentos das tecnologias assistivas na sala de cinema. Diferente de outros festivais, o VerOuvindo, além de exibir filmes acessíveis, produz conteúdo acessível para curtas e longas.

Serviço
6º VerOuvindo – Festival de Filmes com Acessibilidade Comunicacional do Recife
10 a 15 de novembro de 2021
Progamação completa: verouvindo.com/filmes

Programação Presencial

Recife
Cinema da Fundação (Derby) – Rua Henrique Dias, 609, Derby
Teatro do Parque – R. do Hospício, 81 – Boa Vista
Marco Zero – Recife Antigo

Nazaré da Mata
Centro de Referência e Formação da Criança e Adolescentes Surdos (Crefas) – R. Barão de Tamandaré, 73, Nazaré da Mata – PE

Vitória de Santo Antão
Teatro Silogeu Prof. José Aragão – R. João Fernandes Viêira, 200 – Matriz, Vitória de Santo Antão – PE

< voltar para home