Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Diego Di Niglio apresenta resultado da pesquisa “Marcas da Memória” na Torre Malakoff

O projeto, que conta com incentivo do Funcultura, traz um registro de retratos/ensaios sobre pessoas atingidas pela repressão do governo militar em nosso Estado

Em 2011, o Ministério da Justiça, por meio da Comissão da Anistia, iniciou o projeto Marcas da Memória – História Oral da Anistia no Brasil. Realizado em parceria com as Universidades Federais de Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, o projeto entrevistou cerca de 100 pessoas vítimas de perseguição política, prisão e tortura durante a ditadura civil-militar instaurada no Brasil após o golpe de 1964.

Para o caso, em Pernambuco, foram entrevistadas 41 pessoas, entre militantes de partidos, movimentos sociais, como as Ligas Camponesas, integrando, em grande medida, os grupos que adotaram depois de 1968 a opção pela luta armada contra os governos militares. Partindo desse material existente, o fotógrafo italiano Diego Di Niglio, com incentivo do Funcultura, e a parceria da UFPE e da Comissão Estadual de Memória e Verdade Dom Helder Câmara pelos conteúdos histórico-políticos, está realizando um projeto de pesquisa fotográfica autoral que tem como objetivo produzir um registro de retratos/ensaios sobre pessoas atingidas pela repressão do governo militar, investigando com as imagens as histórias e universos particulares dos retratados. Parte dessa pesquisa será apresentada nesta quarta-feira (11), às 19h, na Torre Malakoff. No evento, fruto de uma parceria da Associação dos Fotógrafos Fototech Regional Pernambuco e a Torre Malakoff, o fotógrafo mostrará a experiência da pesquisa realizada e projetará uma série de 100 imagens do ensaio P14311, com uma roda de diálogo aberta ao público.

“Não trata-se de uma reconstrução histórica, mas do que hoje ainda está presente no imaginário destas pessoas e da sociedade. Marcas materializadas em imagens, sons, relatos, silêncios, lugares, documentos, objetos, lembranças e sentimentos. Marcas que ainda estão frescas, no inconsciente coletivo, e são traumas latentes. Fantasmas que ainda habitam as casas. E que, em muitos casos, ainda não encontraram justiça e reparação por conta do Estado e da sociedade”, conta Di Niglio sobre o projeto, que conta com a colaboração do historiador Pablo Porfírio (UFPE). Porfírio assina os textos biográficos sobre as trajetórias das pessoas retratadas no ensaio.

Serviço
Apresentação do projeto fotográfico P14311, de Diego Di Niglio
Quando: 11/5 (quarta feira), às 19h
Onde: Torre Malakoff, 2º andar, Sala Confluência (Praça do Arsenal, s/n, Bairro do Recife)
Acesso gratuito

< voltar para home