Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Livro faz mapeamento etnográfico dos indígenas Pankararu

Ana Araújo/Divulgação

O fotolivro etnográfico “PANKARARU – Identidade, Memória e Resistência”, que acaba de ser publicado pela fotojornalista Ana Araújo, é fruto de uma pesquisa fotográfica realizada ao longo de 34 anos, de 1986 a 2020. A publicação, apresentada pela autora de forma cronológica, conta a história recente dos indígenas Pankararu, habitantes originários do sertão de Pernambuco, através de imagens inéditas do seu território, do seu povo e dos seus rituais ancestrais e sincréticos.

O objetivo da publicação – que contou com incentivo do Governo de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura – é dar visibilidade à cosmologia do povo Pankararu, que tem cerca de 11.366 indígenas, vivendo em área demarcada de 8.377 hectares, entre os municípios de Tacaratu, Jatobá e Petrolândia, na região do submédio São Francisco, no sertão de Itaparica. O livro também pretende servir de conteúdo atualizado para pesquisas de professores e alunos que queiram conhecer mais sobre o tema, tendo a memória e a resistência como componentes de construção e de fortalecimento da identidade cultural dos índios Pankararu.

Um dos campos de estudo é o da fotografia, por representar um importante registro histórico, feito durante a transição dos séculos 20 e 21, quando houve a revolução tecnológica do sistema analógico para o digital. Também contempla a antropologia visual, por conta da abordagem etnográfica que o livro traz, com uma extensa documentação dos rituais Pankararu.

A obra tem 124 páginas, em papel couchê, capa dura, com 107 fotos coloridas e em preto e branco, sendo 32 feitas com câmeras analógicas e 75 com as atuais digitais. Os cinco textos em português, com tradução de Sarah Bailey para o inglês, são de autoria de Ana Araújo – que também redigiu as legendas e fez a coordenação editorial – da linguista e primeira indígena brasileira com doutorado, Maria das Dores de Oliveira Pankararu, do primeiro advogado indígena do Brasil, Paulo Celso de Oliveira Pankararu, da historiadora Bartira Ferraz Barbosa, docente da UFPE – Universidade Federal de Pernambuco, e do professor de Fotografia da UFPE que assina a coedição das fotos, José Afonso Jr. O design e a produção gráfica são de Tácio Ferraz e Isabela Faria, a produção executiva de Bianca Pimentel, o tratamento de imagens de Robson Lemos, a revisão de textos de Tatiana Portela, a assessoria de imprensa da Verbo/Lula Portela e foi impresso na gráfica pernambucana, FacForm.

O livro está disponível ao acesso de pessoas com deficiência visual e baixa visão, através de QR Code, na contracapa, com a audiodescrição da equipe da Com Acessibilidade. E ao público em geral, por enquanto, apenas através de mensagens Direct/Instagram da autora: @fotoanaaraujo. Por conta da pandemia, os lançamentos presenciais previstos no projeto, serão realizados – na Aldeia Brejo dos Padres e na Torre Malakoff – quando os eventos públicos forem permitidos, de acordo com os decretos governamentais.

Ana Araújo - Fotógrafa, jornalista, produtora cultural e autora do fotolivro “As Loiceiras de Tacaratu – A Arte Milenar das Mulheres do Meu Sertão”, sobre a cerâmica utilitária de tradição Pankararu.

< voltar para home