Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Mostra de cinema “Às Escuras” divulga programação

Com incentivo do Funcultura, evento está marcado para acontecer entre os dias 17 e 22 de março, no Cinema do Museu, no Recife

Às Escuras

Discussões e questionamentos sobre o corpo, as relações e a sexualidade humana, atreladas à acessibilidade na sétima arte, dão o tom da primeira edição da mostra nacional de filmes Às Escuras. O evento, que conta com incentivo do Governo do Estado, através do Funcultura, será realizado entre os próximos dias 17 e 22 de março, no Cinema do Museu, no Recife. A programação gratuita vai levar ao público dez filmes com a temática do erotismo, além de oficinas que buscam oportunizar às pessoas com deficiência visual/auditiva um contato mais íntimo com as produções audiovisuais.

Segundo a idealizadora e coordenadora do projeto, Andreza Nóbrega, “a ideia de realizar uma mostra com ênfase no universo erótico surgiu de uma demanda gerada pelo próprio público-alvo da audiodescrição, que constantemente me questionava onde e como poderia acessar esse tipo de obra. A vontade deles é a minha motivação para tornar realidade esse querer, sem censura. Daí surgiu o projeto Às Escuras”.

Dos curtas e longas-metragens selecionados para a mostra, três são pernambucanos e um estrangeiro. Participam da programação os seguintes filmes: Popoxexeca (SP), de Ioanna Pappou e Ruth Steyer; Yes, We Fuck (Espanha), de Antonio Centeno Ortiz e Raúl de la Morena; Filme para Poeta Cego (SP), de Gustavo Vinagre; Sujo (PE), de Anderson Almeida, Brenda Souza, Erlânia Nascimento, Everton Frederic Hermany e Sheila Pereira; Eu queria ser arrebatada, amordaçada e nas minhas costas tatuada, de Andy Malafaia (RJ), Virgindade (PE), de Chico Lacerda; Um outro ensaio (RJ), de Natara Ney; Tubarão (PE), de Leo Tabosa; Messalina (RS), de Cristiane Oliveira; e Nova Dubai, de Gustavo Vinagre.

Reprodução/Filme

Reprodução/Filme

‘Tubarão’, de Leo Tabosa, é um dos filmes pernambucanos que integra a programação da mostra

Ao final de cada sessão, haverá um bate papo entre os profissionais envolvidos na mostra e o público participante. O propósito da mostra é provocar questionamentos sobre o corpo, relacionamentos, identidade sexual e tantas outras infinitas possibilidades que a sexualidade/sensualidade e experimentação podem trazer aos seres sexuais.

Ações formativas no Às Escuras

Toda a programação será disponibilizada com recursos de acessibilidade comunicacional por meio dos recursos de audiodescrição, Libras e legendagem descritiva, oportunizando que pessoas com deficiência visual e auditiva possam apreciar as produções audiovisuais.

Neste sentido, a mostra também oferece ao público duas oficinas sobre o assunto. Uma delas, Audiodescrição no Audiovisual, será realizada de 21 (manhã e tarde) a 22 de março (manhã), com a participação da educadora Klístenes Braga (UECE). Na ocasião, serão abordados os estudos da tradução audiovisual, envolvendo a audiodescrição (AD) como um recurso de acessibilidade cultural e educacional para produções audiovisuais.

A outra oficina, Legendagem Descritiva, será realizada no dia 21 de março (manhã e tarde), e ministrada por Bruna Leão (UECE), que levará aos participantes estudos da tradução audiovisual, envolvendo a legendagem para surdos como um recurso de acessibilidade comunicacional.

As oficinas são voltadas para produtores culturais, técnicos de audiovisual, público em geral que deseje conhecer sobre audiodescrição, bem como professores e estudantes de jornalismo, cinema e artes em geral.  Os interessados devem solicitar a ficha de inscrição pelo e-mail vouverasescuras@gmail.com, e enviar anexada uma carta de intenção descrevendo o porquê gostariam de participar da oficina. A lista dos selecionados será disponibilizada no dia 10 de março.

Mais informações sobre o evento podem ser acompanhadas na Página oficial do evento no Facebook.

Confira a programação da mostra Às Escuras:

Quinta-feira (17/03) | 19h30
Popoxexeca (SP), de Ioanna Pappou e Ruth Steyer
Yes, We Fuck (Espanha), de Antonio Centeno Ortiz e Raúl de la Morena

Sexta-feira (18/03) | 19h30
Filme para poeta cego (SP), de Gustavo Vinagre
Sujo (PE), de Anderson Almeida, Brenda Souza, Erlânia Nascimento, Everton Frederic Hermany e Sheila Pereira
Eu queria ser arretabata, amordaçada e nas minhas costas tatuadas (RJ), de Andy Malafaia

Sábado (19/03) | 19h30
Virgindade (PE), de Chico Lacerda
Um outro ensaio (RJ) de Natara Ney
Tubarão (PE), de Leo Tabosa

Domingo (20/03) | 19h30
Messalina (RJ), de Cristiane Oliveira
Nova Dubai (RJ), de Gustavo Vinagre

AÇÕES FORMATIVAS

Oficina “Legendagem Descritiva”
Segunda-feira (21/03)
Turno: manhã e tarde
Ministrante: Bruna Leão (UECE)
Carga horária: 6h

Oficina “Audiodescrição no Audiovisual”
Segunda-feira (21/03) e terça-feira (22/03)
Turno: manhã
Ministrante: Klístenes Braga (UECE)
Carga horária: 6h

< voltar para home