Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Orquestra de cordas Retratos está em turnê pelo Nordeste

Shows fazem homenagem ao mestre Ariano Suassuna.

Retratos/Divulgação

A Orquestra Pernambucana de Cordas Retratos inicia neste sábado (16), em  João Pessoa (PB), sua turnê por cidades nordestinas. Nas apresentações, o grupo interpreta o primeiro álbum do grupo, “De sol a sol”,  e presta homenagem ao escritor Ariano Suassuna, que faleceu em julho deste ano.  No domingo (17), a orquestra se apresenta em Natal (RN). A circulação continua em Fortaleza (CE), dia 21, e encerra no Recife no dia 3 de setembro. A turnê tem incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura-PE), do Governo de Pernambuco.

“Fazemos um som único no nordeste, com instrumentos que substituem os da orquestra tradicional, mas que tem um efeito musical de uma orquestra. Por isso fazemos um som que está entre o erudito e o popular”, define o maestro da orquestra Marco Cézar. Assim, o violino é substituído pelo bandolim, a viola de arco pela bandola, o violoncelo pelo bandoloncelo, e o contra-baixo de arco pelo contra baixo dedilhado. Todos os instrumentos tocados com palheta. “Algumas orquestras no Brasil fazem isso com música européia, mas somos a única que faz com música nordestina”, completa o maestro.

Músicas de compositores nordestinos importantes ganham vida na sonoridade de cordas, como Paulo Arruda (com “Pitombando no baião”), Edson Rodrigues (com o baião “Urubuvispando”), Cláudio Almeida (com o caboclinho “Ororubá”), entre outros. A orquestra também leva a turnê suas composições autorais como a do arranjador Nilson Lopes, “De sol a sol”, que dá nome ao primeiro disco da orquestra, lançado em 2012.

RETRATOS – A história da orquestra Retratos nasce de uma continuidade do trabalho da Orquestra Dedilhadas de Pernambuco, da década de 80, que tem seu trabalho baseado no movimento armorial. Em 1998, surge a Retratos, que até hoje mantém a sonoridade armorial. “O mestre Ariano Suassuna ia participar do segundo volume do nosso disco, infelizmente ele faleceu antes desse sonho. Mas vamos reverenciá-lo e homenageá-lo na nossa turnê”, revela maestro Marco Cézar.

Criada com o objetivo de ser um laboratório permanente de estudos da cultura popular, a Orquestra Retratos é formada por 12 integrantes, entre alunos, convidados e professores do Conservatório Pernambucano de Música. O grupo é reconhecido por ser uma das melhores orquestras dedilhadas da América Latina. Com arranjos elaborados e a destreza dos intérpretes na execução, a essência da Retratos é a capacidade de transitar entre erudito e popular.

A formação inédita, melódica e rítmica é realçada pelo bandolim (Marco César e Moema Macêdo), violão 7 cordas (Rubem França), cavaco (Leonilcio Deolindo – Pepê), bandola (Maíra Macêdo e João Paulo Albertim), baixo acústico (Paulo Arruda), bandoloncelo (Fernando Moura e Gilson Chacon), violas (Henrique Almeida e Eduardo Buarque) e bateria (Leonardo de Castro).

Nos seus 14 anos de existência, a Orquestra Retratos participou de projetos importantes, como Folias Guanabaras, musical de Ivaldo Bertazzo (2001); o espetáculo do músico Antônio Carlos Nóbrega, Nove de Fevereiro (2008); três edições dos festivais MIMO (2006, 2008, 2009) e Circuito das Igrejas (2010, 2011 e 2012).

SERVIÇO

TURNÊ ORQUESTRA PERNAMBUCANA DE CORDAS RETRATOS
Entrada gratuita

JOÃO PESSOA
16 de agosto – 17h30
Anfiteatro da Estação Cabo Branco (Rua João Cirillo da Silva s/n – Altiplano)

NATAL
17 de agosto (Domingo)- 16h
Anfiteatro Pau-Brasil – (Parque das Dunas)

FORTALEZA
21 de agosto – - 20h
Centro Dragão do Mar (Praça Almirante Saldanha)

RECIFE
03 de setembro – 21h
Teatro Santa Isabel (Praça da República, Sn)

< voltar para home