Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Fundarpe

Mãe-Coruja, em parceria com o Outras Palavras, leva cultura e lazer para Cumaru

Programa da Secretaria da Saúde, em parceria com a Secult-PE e Fundarpe, além de outras secretarias, terá uma edição especial na próxima quarta-feira (9/05)

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

De acordo com Márcia Branco, integrante da equipe do Outras Palavras responsável pela ação, esta é a quinta edição do ano com a participação da Secult-PE e Fundarpe

Por Marcus Iglesias

Com a proposta de levar cultura e lazer para famílias do município de Cumaru, que tenham crianças de até dois anos de idade, o Outras Palavras, mais uma vez, realizará uma parceria com o Programa Mãe Coruja, uma iniciativa desenvolvida pela Secretaria de Saúde do estado. A próxima edição, marcada para a quarta-feira que vem (9/05), terá uma programação com diversas atividades lúdicas, como contação de histórias, teatro de mamulengos e cinema de animação, além do próprio acompanhamento na questão da saúde da criançada e de seus responsáveis.

De acordo com Márcia Branco, integrante da equipe do Outras Palavras responsável pela ação, esta é a quinta edição do ano com a participação da Secult-PE e Fundarpe. “Pela manhã teremos várias ações acontecendo simultaneamente, na praça principal da cidade e em outros espaços como a igreja. Ao longo do dia vão acontecer atividades gratuitas como sessões de cinema de animação e teatro, palestras para mães e conversas sobre a importância das vacinas, e até uma ciranda do pessoal da comunidade, entre outras ações”, explicou.

Leonardo Silva/Prefeitura de Buíque

Leonardo Silva/Prefeitura de Buíque

O Programa Mãe Coruja é uma iniciativa da Secretaria da Saúde voltado para as mulheres gestantes e para crianças com até dois anos de idade

Segundo Márcia Branco, a ideia é mexer com a cidade, fazer com que as pessoas realmente usem o espaço público e tenham um encontro com a cultura e a educação a partir de um outro olhar. “Há na programação muito o conceito do ‘brincar’. A criança tem que conhecer os espaços públicos e brincar neles, isso é importante para seu desenvolvimento como cidadã. Elas precisam sair um pouco da sala de aula, porque este é um espaço que acaba restringindo a brincadeira ao momento do recreio. E a nossa ideia é transformar a aula toda numa grande diversão”.

Sobre o Mãe Coruja - O Programa é uma iniciativa da Secretaria da Saúde voltado para as mulheres gestantes e para crianças com até dois anos de idade. No entanto, dentro do Plano de Desenvolvimento Infantil, há a compreensão de que estas crianças precisam de um envolvimento a mais, que transpasse a questão da saúde, e envolva também cultura e educação para seu desenvolvimento social.

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Algumas atividades lúdicas, como teatro de mamulengos, estão previstas na programação da próxima edição

Neste sentido, a equipe do Mãe Coruja resolveu ampliar no ano passado a discussão pra outras secretarias estaduais, e passou a incluir a Secretaria da Mulher, a Secretaria da Cultura e Fundarpe, Secretaria de Esportes e, recentemente, a Secretaria de Turismo. A iniciativa existe em doze regiões de Pernambuco e vários municípios, que contam com um espaço do Mãe Coruja. Lá essas crianças e suas mães fazem um acompanhamento da gestação e de seus primeiros anos de vida. Com a entrada das outras secretarias estaduais no Programa, outras atividades passaram a ser envolvidas.

“Ano passado em Lagoa dos Gatos nós do Outras Palavras fizemos um projeto-piloto e realizamos duas ações, que são Vivências e o Brincando na Minha Cidade. Com o Vivências, aconteceram então duas oficinas com a proposta de estreitar o relacionamento entre filhos e família, de restabelecer essa relação de afetividade e encontros, e uma ação de contação de histórias”, revela Márcia Branco.


(Trailer de DIA ESTRELADO  (2001,13 minutos), de Nara Normande)

Já o Brincando na Minha Cidade tem o objetivo de transformar a cidade na sala de aula das crianças. “Para isso estamos propondo uma programação cultural com atividades que eles normalmente não têm acesso, como teatro, cinema e música. Trazer alguma coisa diferente. Até a questão do esporte vai ser uma coisa mais lúdica, sem competição, e é algo que tem dando muito certo com a garotada”, comemora a coordenadora do Outras Palavras.

Confira a programação da edição do Programa Mãe Coruja em Cumaru:

MANHÃ

9h – Abertura com falas de representantes da Prefeitura de Cumaru e do Programa Mãe Coruja.
Local: Praça Virgílio Heráclito

9h20 – Contação de histórias com Edilene, da Secretaria de Educação
Local: Praça Virgílio Heráclito

9h40 – Teatro de Marionetes Bonecartes, com o espetáculo ‘Bumba-Meu-Boi do Capitão Mole’
Sinopse: Espetáculo baseado no folguedo Bumba-meu-boi de Pernambuco da Zona da mata canavieira. Peça de cultura popular, onde o boi é o personagem principal da brincadeira. Adaptada para a técnica de marionetes de fios pelo teatro de bonecos bonecartes.
Local: Praça Virgílio Heráclito

10h30 – Zumba na Praça
Local: Praça Virgílio Heráclito

9h20 – Palestra – Lei Maria da Penha vai às praças
Iniciativa voltada para os mães, familiares e convidados do Canto Mãe Coruja e técnicos(as) das instituições municipais parceiras, com o objetivo de mostrar a importância da Lei Maria da Penha, além de ajudar a conscientizar o público sobre a necessidade de combater a violência contra a mulher, tudo com vistas à prevenção da Violência Doméstica.
Local: Sala de Catecismo da Igreja

9h40 – Palestra – Importância das Vacinas
Local: Sala de Catecismo da Igreja

9h50 – Cinema de Animação
SALU E O CAVALO MARINHO
(2014, 13 minutos), de Cecília da Fonte
Sinopse: Conta a história do Mestre Salustiano , desde a sua infância e o seu envolvimento com manifestações da cultura popular nordestina.
DIA ESTRELADO   (2001,13 minutos), de Nara Normande
Sinopse: A luta de um menino e sua família para sobreviver num lugar distante e inóspito. Feito em stop motion, ganhou vários prêmios em festivais nacionais de cinema.
ERA UMA VEZ TUDO VERDIM
(2013, 13 minutos), de Patrícia Alves Dias, Sylvestre Campe e Nilton Pereira.
Sinopse: Meninos da tribo indígena Pankararé, da cidade de Nova Glória (BA), contam a sua história no Raso da Catarina, no sertão, após fazerem uma oficina de animação.

9h20 – Atividades esportivas lúdicas
Corrida de saco/jogo e brincadeira para a família / ou jogos de corda ou tração
Corrida da colher / jogo de argolas/pular

11h – Ciranda
Local: Praça Virgílio Heráclito

TARDE

13h30 – Orquestra de Violões
Local: Praça Virgílio  Heráclito

14h10 – Zumba na Praça
Local: Praça Virgílio  Heráclito

13h30 – Atividades esportivas lúdicas
Corrida de saco/jogo e brincadeira para a família / ou jogos de corda ou tração
Corrida da colher /  Jogo de argolas/pular

14h10 – Palestra – Como evitar acidentes domésticos com crianças
Local: Sala de Catecismo da Igreja

14h40 – Palestra – Doenças Sexualmente Transmissíveis
Local: Sala de Catecismo da Igreja

14h40 – Banda 20 de dezembro
Local: Praça Virgílio Heráclito

15h20 – Ciranda
Local: Praça Virgílio Heráclito

< voltar para home