Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Caboclinhos festejam título de Patrimônio Cultural do Brasil

O 8º Encontro dos Caboclinhos e Índios de Pernambuco acontece nos dias 10 e 11 de dezembro, em Goiana

Foto: Priscilla Buhr

Caboclinho Oxossi Pena Branca, uma das agremiações participantes do encontro

Chegado à sua 8ª edição, o tradicional Encontro dos Caboclinhos e Índios de Pernambuco acontece no próximo sábado (10) e no domingo (11), em Goiana, na Zona da Mata Norte, com programação especial que celebra a conquista do título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, concedida no último dia 24 de novembro em Brasília, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan. O evento, realizado pela Associação Carnavalesca dos Caboclinhos e Índios de Pernambuco (ACCIPE), conta com apoio do Governo de Pernambuco, através da Secult-PE e Fundarpe.

“Para nós, a edição desse ano será ainda mais especial, homenageando as 32 agremiações participantes de uma maneira muito orgulhosa, com a sonhada conquista do título de Patrimônio Cultural. O registro fortalece ainda mais nossa manifestação, favorecendo algo positivo para a continuidade da luta dos Caboclinhos em meio aos vários desafios que a cultura popular atravessa”, comentou Erivaldo Francisco de Oliveira (Peu), presidente da ACCIPE.

Fundada em 18 de janeiro de 2006, a ACCIPE também é responsável por organizar sempre no mês de março, na Zona da Mata Norte, a tradicional Assembleia de Caboclinhos e Índios, que ocorreu pela primeira vez em 1645, durante o império português. “A dança dos Caboclinhos e dos Índios que temos na Mata Norte são criações dos descendentes dos índios que participaram daquela primeira assembleia. Quando os Caboclinhos saem no carnaval ou em alguma de nossas festas, eles estão levando essa tradição e é isso que procuramos preservar”, destacou Peu.

Saiba mais sobre a manifestação dos Caboclinhos.

Confira a programação:

Sábado, 10 de dezembro
Engenho Mussumbu (Assentamento Florestan Fernandes – zona rural de Goiana)
17h – Caboclinho Canindé do Recife
17h20 – Caboclinho Índio Brasileiro de Buenos Aires
17h30 – Caboclinho dos Coités de Tracunhaém
17h40 – Leão da Fortaleza
17h50 – Índio Canindé Brasileiro de Itaquitinga
18h – Tribo de Índio Canindé de Itambé
18h10 – Leão da Serra
18h20 – Caboclinho Tupinambá de Goiana
18h30 – Tribo Guianás
18h40 – Tribo de Índio Águia Negra de Itambé
18h50 – Caboclinho Tupã
19h – Tapuias Camarás de Camaragibe
19h10 – Caboclinho Oxossi Pena Branca
19h20 – Caripós de Goiana

Domingo, 11 de dezembro
Espaço Multiuso (Bairro de Nova Goiana)
16h10 – Caboclinho Tabaiares
16h20 – Caboclinho Canindé de Camaragibe
16h30 – Kapinawá do Recife
16h40 – Caboclinho 7 Flexas de Goiana
16h50 – Índio Tabajara de Goiana
17h – Tribo de Índio Ubirajara de Itapissuma
17h10 – Canindé de São Lourenço
17h20 – A Tribo Taquaracy
17h30 – Caboclinho Canindé de Goiana
17h40 – Caboclinho Carijós de Goiana
17h50 – Tribo Indígena Tapirapé
18h – Clube de Índio Tupiguarani
18h10 – Tribo Paranaguazes
18h20 – Pretinha do Congo de Carne de Vaca
18h30 – Clube Carnavalesco Misto Tupi
18h40 – Caboclinho Tabajara de Camaragibe

< voltar para home