Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Serviço Cultural

Profissionais do Teatro vão selecionar projetos do 1º Prêmio Roberto de França (Pernalonga)

Está disponível o resultado da Convocatória para Comissão de Seleção do 1º Premio Roberto de França (Pernalonga) de Teatro. Para esta primeira edição do Prêmio, estão destinados R$ 90 mil para contemplar 01 Espetáculo Adulto (R$ 25.000); 01 Espetáculo para Infância e Juventude (R$ 25.000,00); 01 Espetáculo Solo (R$ 10.000,00); 01 Iniciativa Individual (R$ 10.000,00) e 01 Iniciativa Coletiva (R$ 20.000,00). De acordo com o Edital, os vencedores serão anunciados até o dia 8 de novembro de 2018.

Confira os profissionais selecionados:

INTEGRANTES DA SOCIEDADE CIVIL – CLASSIFICADOS NA CONVOCATÓRIA PARA COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO DE SELEÇÃO DO 1º PREMIO ROBERTO DE FRANÇA (PERNALONGA) DE TEATRO:

ANA CAROLINA MARINHO (SÃO PAULO/SP)
Formada em Atuação pela SP Escola de Teatro, integra o Coletivo Estopô Balaio, no qual desenvolve há sete anos uma residência artística no bairro Jardim Romano, na periferia de São Paulo. Com o Coletivo foi contemplada pelo Rumos Itaú Cultural, Lei de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo, PROAC’s entre outros e participou de diversos festivais e mostras como Mostra de Teatro Latino-Americano em São Paulo, FENTEPP, Festival de Inverno de Garanhuns. É atriz convidada do Chicote de Língua, em que compõe o elenco do espetáculo “As três Marias”, que participou do Festival de Inverno de Garanhuns, Festival de Teatro de Bauru. É atriz convidada da Cia. As de Fora, em que compõe o elenco do espetáculo “Roupa Suja”. É colaboradora na Revista Antro Positivo, com a qual fez a cobertura crítica de importantes festivais de teatro, como MIT-SP, FIAC-Ba, entre outros. No FIG-2018, participou como debatedora da Mediação Crítica por Mulheres. Já realizou a ação “Crítica Performativa” no Tempo Festival – RJ, MIT-SP e no Festival de Curitiba. É professora de interpretação na Academia Internacional de Cinema – AIC. Em 2018, construiu a dramaturgia e atuou no espetáculo “Exercício de Incerteza” selecionado para a ocupação do Teatro Centro da Terra. Seu roteiro de longa-metragem “A Mãe” foi premiado no 7o Brasil CineMundi – International Coproduction Meeting e foi contemplado pelo Fomento do Cinema Paulista em 2017, segue em fase de pré-produção. “Cidade Clandestina” roteiro de longa-metragem que também assina foi contemplado pelo PROAC-Edital em São Paulo. Dirigiu os curtas “Janaína” (2017) e “Entre”, contemplado no Prêmio Estímulo ao Curta-Metragem, que está em fase de finalização. Em 2014 integrou o longa-metragem “Hamlet” de Cristiano Burlan como atriz e colaboradora no roteiro. Em 2015, participou, ao lado do crítico e ator Jean-Claude Bernardet, do longa “Fome”, que angariou dois candangos no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e quatro prêmios no Festival de Cinema da Fronteira. Sua parceria com Burlan e J.C. se estende em 2016 na realização do filme “Antes do fim”, uma co-produção com o Canal Brasil, no qual assina o roteiro e integra o elenco. O filme participou da 50o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e foi vencedor do Festival de Aruanda entre outros.

JORGE JOSÉ VICENTE DE PAULA FILHO (RECIFE/PE)
Ator, encenador, arte-educador e produtor cultural. Licenciado em Educação Artística/Artes Cênicas, pela Universidade Federal de Pernambuco. Há 17 anos exerce a arte-educação, tendo trabalhado em instituições referências como o Colégio Mater Christi, Centro SUVAG de Pernambuco (especializado na educação de crianças e jovens surdos), Colégio Ethos, Colégio Marista – São Luís, Projeto Criança Esperança (Jaboatão dos Guararapes), Hipérion Escola de Artes e, atualmente, o Colégio Nossa Senhora de Lourdes. Em 2010 e 2011, participou como bolsista do Programa de Aperfeiçoamento em Gestão Pública de Cultura da Fundarpe, trabalhando junto a Coordenadoria de Artes Cênicas no planejamento, seleção, produção e avaliação de diversas atividades, dentre elas: Edital Pernambuco de todas as Paixões, FUNCULTURA e Festival de Inverno de Garanhuns. É artista independente com foco no desenvolvimento de habilidades como intérprete em produções teatrais e áudio-visuais. Iniciou suas atividades profissionais como ator no ano de 2000 com o musical Alheio, escrito e dirigido por Leidson Ferraz e Cláudio Lira. Posteriormente trabalhou com importantes encenadores da cidade de Recife, tais como: Marco Camarotti, João Denys, Marcondes Lima e Roberto Lúcio. Participou, no ano de 2006, da montagem As Criadas, de Jean Genet, encenado por Marcondes Lima e Kleber Lourenço, pela qual recebeu o prêmio de melhor ator no XIII Festival Janeiro de Grandes Espetáculos, realizado pela APACEPE (Associação de Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco). Em 2007, trabalhou como ator e cenógrafo do espetáculo, Rififi no Picadeiro, produzido pela Trupe Ensaia Aqui e Acolá, pelo qual foi premiado como melhor ator para infância e juventude no XIV Janeiro de Grandes Espetáculos. Em 2009, encenou e criou a cenografia do espetáculo de dança Amanhã é depois, hoje é brinquedo, produzido pela ONG Em Cena Arte e Cidadania. No mesmo ano, participou como encenador, diretor de arte e ator do espetáculo para infância e juventude No meio da noite escura tem um pé de maravilha, tendo recebido por este trabalho o prêmio de melhor ator para infância e juventude no XVI Janeiro de Grandes Espetáculos. No ano de 2010, trabalhou como encenador, cenógrafo e ator no foi espetáculo adulto O amor de Clotilde por um certo Leandro Dantas, produzido pela Trupe Ensaia Aqui e Acolá. Essa obra foi indicada para o XVII Janeiro de Grandes Espetáculos em diversas categorias, vencendo nas categorias melhor espetáculo pela crítica e pelo júri popular. Em 2012 participou como ator do espetáculo teatral Daquilo que move o mundo, produzido pelo Visível Núcleo de Criação e escrito e dirigido por Tiche Viana. Nesse mesmo ano atuou no filme Bárbara, dirigido por Liana Cirne Lins, com estréia realizada em dezembro de 2014, dentro da programação do 16o FESTCINE – Festival de Curtas de Pernambuco, no Cine- Teatro São Luís. Em 2013 dirigiu, roteirizou e atuou no espetáculo para infância De íris ao arco-íris, o qual recebeu os prêmios de melhor trilha sonora, melhor diretor e melhor espetáculo para infância e juventude no XX Janeiro de Grandes Espetáculos. Em 2015 participou como ator do piloto da série para televisão Fãntásticos, uma realização da Plano 9 Produções Audiovisuais Ltda, dirigido por André Pinto e Henrique Spencer, com lançamento previsto para 2018. No mesmo ano, atuou também no documentário A Descoberta do mundo, dirigido por Taciana Oliveira. Em 2016, atuou no espetáculo Em nome do pai, texto de Alcione Araújo, encenação de Cira Ramos e produção da REC Produtores Associados. É proprietário da empresa Jorge de Paula Produção Cultural (MEI), a qual foi a responsável pela produção executiva do projeto No rastro das sete cores: De Íris ao arco-íris, de circulação nacional do espetáculo De Íris ao arco- íris pelas cidades de Fortaleza (CE), Balneário Camboriú (SC), Cuiabá (MT), Rio Branco (AC), São Paulo (SP), Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ) , Angra dos Reis (RJ), Recife (PE) e Teresina (PI), em 2015. Em 2017, foi membro do júri de teatro adulto do festival Janeiro de Grandes Espetáculos. Em 28 de dezembro de 2018, lançou seu primeiro livro, destinado ao público infantil: De Íris ao arco-íris.

INTEGRANTES GOVERNAMENTAIS

JOSÉ NETO BARBOSA (ASSESSOR DE TEATRO E ÓPERA DA SECULTPE/FUNDARPE)
NELSON LEITE CHAVES NETO (ASSISTENTE DA ASSESSORIA DE TEATRO E ÓPERA DA SECULTPE/FUNDARPE)

< voltar para home