Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Formação Cultural

Outras Palavras se consolida como uma política pública de elo entre cultura e educação

Última edição de 2017 acontece nesta quinta-feira (21), em Nazaré da Mata, completando a marca de 471 escolas alcançadas, 11 mil alunos atingidos e mais de 4.700 livros distribuídos nas bibliotecas das instituições de ensino

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

Em dois anos o Outras Palavras mudou a realidade do ambiente escolar para melhor e revolucionou a vida de muita gente, principalmente dos estudantes da rede pública do estado

Por Marcus Iglesias

O sociólogo francês Pierre Bourdieu, quando fala sobre o processo da educação das pessoas, afirma que “a cultura é o conteúdo substancial da educação, sua fonte e sua justificação última [...] uma não pode ser pensada sem a outra”. Foi com este pensamento que em 2015 a Secretaria de Cultura e Fundarpe deram início ao projeto Outras Palavras, política pública que tem permitido a criação deste elo necessário entre a cultura e a educação. Nesta quinta-feira (21), às 14h, a iniciativa celebra 64 edições realizadas na Gerência Regional de Educação de Nazaré da Mata, onde levará os poetas Joseilson Ferreira e Chico Pedrosa, e a Patrimônio Vivo de Pernambuco e cirandeira Lia de Itamaracá.

Participarão da atividade dez escolas estaduais da região da Mata Norte do estado: Escola Agamenon Magalhães e Erem Dr. Walfrefo Luiz Pessoa de Melo (Tracunhaém); Erem Jaime Coelho e Escola Laurindo Gomes (Buenos Aires); Escola Dom Carlos Coelho, Escola Don Vieira, Escola Dom Ricardo Vivela, Erem Maciel Monteiro, Escola Capitão Plínio e Escola de Aplicação Professor Chaves (Nazaré da Mata), além de representantes da Secretaria Municipal de Educação e da Associação de Mulheres de Nazaré da Mata.

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Rodrigo Ramos/Secult-PE

“Nós podemos afirmar, sem medo de errar, que o Outras Palavras está consolidado enquanto política pública de integração entre a cultura e a educação”, opina Antonieta Trindade, vice-presidente da Fundarpe e gestora do projeto

“Nós podemos afirmar, sem medo de errar, que o Outras Palavras está consolidado enquanto política pública de integração entre a cultura e a educação. O retorno que recebemos dos gestores e professores é de que não temos a dimensão do efeito dele entre os estudantes que participaram das várias edições realizadas tanto por iniciativa da Secult-PE e Fundarpe, em articulação com as Gerências Regionais de Educação e a Secretaria de Educação, como por solicitações de escolas e municípios”, revela Antonieta Trindade, que atualmente é vice-presidente da Fundarpe e gestora do projeto, mas que há décadas luta por uma educação pública de qualidade.

Em dois anos o Outras Palavras mudou a realidade do ambiente escolar para melhor e revolucionou a vida de muita gente: Foram alcançadas 471 escolas de várias regiões do estado (RMR, Sertão do Moxotó, Sertão do São Francisco, Agreste Meridional, Agreste Central, Agreste Setentrional, Mata Norte e Mata Sul), atingindo mais de 11 mil alunos e distribuindo nas instituições de ensino mais de 4.700 livros – boa parte deles publicações premiadas no Prêmio Pernambuco de Literatura ou que foram produzidas com incentivo do Funcultura.

Jan Ribeiro/Secult-PE

Jan Ribeiro/Secult-PE

O escritor Urariano Mota, ao lado de outros nomes da literatura pernambucana como Camillo José, Mário Filipe Cavalcanti, Cida Pedrosa e Rejane Paschoal, passaram pelo projeto

A iniciativa é embasada na ideia de que a cultura é um elemento que nutre todo o processo educacional e que tem um papel de suma importância na formação de um individuo critico e socializado. “Como eu costumo dizer, esse é um projeto de resistência, cujo objetivo é possibilitar o acesso da nossa juventude das escolas públicas ao que há de melhor nas artes e na cultura pernambucana. É a oportunidade de ouvir Outras Palavras, que os provoque a ocupar o protagonismo na vida social”, destaca Antonieta Trindade.

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Outras Palavras também já foi levado para unidades da Funase, como a CASE Santa Luzia, a única feminina do estado

A partir da necessidade e demanda da sociedade e das instituições de ensino do estado, o Outras Palavras conquistou outros braços. Um deles é o Outras Palavrinhas, voltado para Educação Infantil, e que foi realizado quatro vezes este ano, em cidades como Bom Conselho, Garanhuns, Araçoiaba e Recife. Foram realizadas também quatro ações parceria com o Programa Mãe Coruja e três atividades em unidades da Funase, como forma de garantir o acesso à cultura e conhecimento a todo o universo da rede pública de ensino.

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Um dos braços do Outras Palavras, inicialmente direcionado a estudantes do Ensino Médio, é o Outras Palavrinhas, desta vez voltado para alunos da Educação Infantil

“As atividades realizadas no Mãe Coruja, na Funase, e nas escolas de educação infantil, com o Outras Palavrinhas, possibilitaram o acesso a essa magia que emana da arte e da cultura para pessoas que encaram a dureza provocada pelas desigualdades sociais”, opina Antonieta Trindade.

Para Antonieta Trindade, o Outras Palavras ofertou para a juventude o acesso da música clássica ao teatro, além da literatura, do audiovisual e da cultura popular, que já faziam parte dos formatos iniciais do projeto. Em 2017, a iniciativa ampliou as parcerias, contando com a presença de escritores cujas obras foram premiadas em outros concursos além do Prêmio Pernambuco de Literatura, como Sidney Rocha (vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura), e de outros Patrimônios Vivos, como Mestre Galo Preto, José Costa Leite, Dona Maria dos Prazeres, e a já citada Lia de Itamaracá.

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Rodrigo Ramos/Secult-PE

Mestre Galo Preto foi um dos Patrimônios Vivos de Pernambuco que já participou do Outras Palavras

“Tivemos também a presença de vários artistas reconhecidos na cena cultural de Pernambuco, como o Maestro Forró e Dona Glorinha do Coco”, pontuou a gestora, que já traça a agenda do projeto para o ano de 2018. Caso alguma escola pública ou município tenha interesse em receber uma edição do Outras Palavras, basta entrar em contato com a Secretaria de Cultura e Fundarpe através do telefone (81) 3184 3078.

< voltar para home