Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

PATRIMÔNIO CULTURAL

Patrimônios Vivos

Por meio da política de Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco (Lei nº 12.196, de 2 de maio de 2002, alterada pela Lei nº 15.944, de 14 de dezembro de 2016), o Governo de Pernambuco reconhece anualmente 6 (seis) novos Mestres, Mestras e Grupos como  Patrimônios Vivo do Estado de Pernambuco – RPV-PE.

São homens e mulheres que, individualmente ou junto aos seus coletivos, mantêm tradições centradas na oralidade, tecem redes de compartilhamento e aprendizado pautados na valorização dos conhecimentos técnicos e das vivências, intercâmbios e histórias que são passadas para novas gerações de acordo com os contextos específicos de suas comunidades e localidades, preservando a grande diversidade de bens culturais aos quais se vinculam. Assim temos, por exemplo, a presença de parteira tradicional, artista circense, mestres e mestras da poesia popular, do repente e da literatura de cordel. Temos também coquistas, maestros de frevo, artesãos modeladores de barro e de brinquedos populares. Cada qual, com seu conjunto de saberes, relaciona-se com uma variedade muito grande de aprendizes, formando diretamente e indiretamente discípulos(as).

Realizado em concurso anual, o Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco é formado por diferentes etapas. Primeiramente, etapa de habilitação técnica da documentação dos candidatos, depois uma Comissão Especial de Análise elabora pareceres sobre as candidaturas habilitadas considerando critérios, tais como: relevância do trabalho desenvolvido, idade do candidato ou tempo de existência do grupo e avaliação da carência social. Na terceira etapa, as candidaturas serão analisadas pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural – CEPPC que, deliberará pela titulação e registro de seis novos Patrimônios Vivos do Estado de Pernambuco. Após a publicação do resultado no Diário Oficial do Estado ocorre a diplomação dos novos Patrimônios Vivos em cerimônia durante a celebração do Dia Nacional do Patrimônio Cultural, comemorado em 17 de agosto.

Como resultado desse reconhecimento, a lei do RPV-PE prevê a bolsa mensal ao registrado(a), como subsídio direto às atividades ligadas à preservação e à transmissão dos saberes, e também cabe ao Governo de Pernambuco, e especialmente à Secretaria de Cultura e à Fundarpe, desenvolver e ampliar a promoção, o apoio, o incentivo, a preservação, a publicização e a difusão desses Patrimônios Vivos que  regularmente são convidados a participar de ações, tais como: o Festival de Inverno de Garanhuns – FIG (palcos, oficinas Alameda dos Mestres, etc.); Convocatórias do Ciclo Carnavalesco, Junino e Natalino; Projeto Outras Palavras; Semana Estadual do Patrimônio Cultural; Feira Nacional de Negócios e Artesanato (Fenearte), e atividades pontuais em parcerias com outras instituições estaduais e municipais, o que também engloba instituições de ensino da educação infantil à educação técnica e superior (3º grau).

Esse compromisso assumido considera as dimensões culturais, históricas, sociais e econômicas do patrimônio cultural, bem como o potencial que a valorização das atividades, saberes e produtos desses mestres e mestras gera para o desenvolvimento cultural em suas localidades.

Conheça, abaixo, cada um desses homens e mulheres, considerados verdadeiros patrimônios e tesouros vivos de Pernambuco.

Ana das Carrancas (in memoriam)

Arlindo dos Oito Baixos (in memoriam)

As Pretinhas do Congo

André Madureira (in memoriam)

Banda Revoltosa

Caboclinho Sete Flexas

Caboclinho União Sete Flexas

Camarão (in memoriam)

Canhoto da Paraíba (in memoriam)

Cavalo-Marinho Estrela de Ouro de Condado

Cristina Andrade

Claudionor Germano

Clube Carnavalesco Misto Elefante de Olinda

Clube Carnavalesco Mixto Seu Malaquias

Clube Indígena Canindé

Confraria do Rosário

Dedé Monteiro

Didi do Pagode

Dila (in memoriam)

Dona Menininha do Alfenim

Euterpina de Timbaúba

Fernando Spencer (in memoriam)

Galo Preto

Gonzaga de Garanhuns

Grupo Cultural e Religioso Guardiões(ãs) de São Gonçalo de Itacuruba

Homem da Meia-Noite

Índia Morena

J. Borges

J. Michiles

João Espíndola

João Silva (in memoriam)

José Costa Leite

José Pimentel (in memoriam)

Lia de Itamaracá

Lula Gonzaga

Lula Vassoureiro

Mãe Beth de Oxum

Maestro Ademir Araújo

Maestro Duda

Maestro Nunes (in memoriam)

Manuel Eudócio (in memoriam)

Maracatu Estrela Brilhante de Igarassu

Maracatu Estrela de Ouro de Aliança

Maracatu Leão Coroado

Maria Amélia

Maria dos Prazeres

Maria Jacinta Sampaio da Silva

Marliete Rodrigues

Mestra Ana Lúcia

Mestre Aprígio (in memoriam)

Mestre Assis Calixto

Mestre Saúba

Mestre Luiz Antônio

Mestre Nado

Mestre Chocho (in memoriam)

Mestre Salustiano (in memoriam)

Mestre Zé de Bibi

Mestre Zé Lopes (in memoriam)

Mocinha de Passira

Nação Xambá (Casa Xambá)

Nuca (in memoriam)

Orquestra Capa Bode

Reisado do Inhanhum

Selma do Coco (in memoriam)

Sociedade dos Bacamarteiros do Cabo

Sociedade Musical Curica

Sociedade Musical XV de Novembro

Sociedade 12 de Outubro (Banda Saboeira)

Sociedade do Maracatu Cambinda Brasileira

Teatro Experimental de Arte

Troça Cariri Olindense

Velho Xaveco

Zé do Carmo (in memoriam)

Zezinho de Tracunhaém (in memoriam)